23 SUL Arquitetura: Terminal de ônibus urbano, São Bernardo do Campo, SP

Em dois níveis, fluxos independentes

O terminal de ônibus urbano projetado pelo escritório paulistano 23 SUL Arquitetura na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo, apresenta-se visualmente como uma caixa metálica suspensa, que resulta da busca por uma construção leve e com fluxos organizados de forma clara e independente

Localizado em uma gleba próxima a uma rotatória entre as ruas Mathilde Ferrari Marçon e Valdomiro Luís, o Terminal Batistini faz parte dos esforços da atual gestão da prefeitura de São Bernardo do Campo - por meio da Secretaria de Transportes e Vias Públicas - para implantar um novo sistema de mobilidade urbana no município pertencente à região conhecida como ABC Paulista.

O equipamento viário permitirá a transferência de passageiros entre as linhas alimentadoras, do bairro Batistini e arredores, e as linhas troncais, que percorrem o Corredor da Estrada Galvão Bueno - tanto a obra do corredor quanto a do novo terminal de ônibus foram autorizadas em maio de 2018, com investimento total de R$ 39,3 milhões - em direção ao centro da cidade.

Implantar o projeto em nível rebaixado em relação às vias existentes foi a estratégia usada pelo escritório paulistano 23 SUL, autor da arquitetura, e pelo consórcio formado pela Planservi, Hagaplan e Oficina Consultores, responsável pelo gerenciamento do contrato, engenharias e consultorias, para manter os retornos sem conflitos com o acesso dos veículos de transporte coletivo.

Dessa forma, os passageiros embarcam e desembarcam em uma única plataforma situada no centro da implantação, e também podem acessar os usos de apoio, como sanitários públicos, lojas e ponto de informações. Já as entradas externas de pedestres acontecem por uma passarela metálica que cruza as pistas do terminal até um mezanino, onde estão localizadas a bilheteria e a circulação vertical para a plataforma.

Os embasamentos dos acessos e bicicletários, além de uma edificação com as áreas de apoio administrativo e operacional, disposta ao longo da pista lateral, completam o conjunto arquitetônico de 4.000 metros quadrados de área construída. Assim, um dos principais objetivos do projeto foi alcançado: uma organização clara e independente dos fluxos.

Outra qualidade do Terminal Batistini - recorrente nos projetos do 23 SUL - é a leveza da arquitetura e a forma respeitosa com que se insere no contexto. Volumetricamente, a construção se configura como uma caixa suspensa. Toda a área de passageiros fica sob uma mesma cobertura metálica, apoiada em pilares circulares esbeltos, permitindo a conexão visual entre os dois níveis.

Aberturas nessa estrutura permitem a entrada de iluminação natural. Fechamentos verticais de telhas metálicas perfuradas, agregados à cobertura, protegem a plataforma e, ao mesmo tempo, dão forma ao edifício. “Adotamos uma solução de cobertura que ficou alta em relação à plataforma, então esses fechamentos criam um volume, mas também permitem a proteção da insolação direta e da chuva”, detalha Tiago Oakley, um dos titulares do 23 SUL.

O projeto executivo foi desenvolvido integralmente em software BIM (Revit), incluindo etapas tanto de modelagem e documentação como de quantificação de elementos e listagem de materiais. “Esse foi um dos primeiros projetos grandes que fizemos em BIM. Nesse tipo de trabalho, principalmente, uma das grandes vantagens de seu uso é ter o controle do processo como um todo, com mais precisão e eliminando muitas etapas de trabalho manual”, explica Oakley.

 
23 sul arquitetura

Organização de arquitetos, urbanistas (todos formados pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP) e pesquisadores sediada em São Paulo. Desde 2006 participa de processos de projetos voltados à ampliação da infraestrutura de transporte público em diversos municípios brasileiros. Desenvolve também planos de mobilidade urbana e estudos de desenvolvimento urbano, em parceria com empresas e secretarias dos setores público e privado.



Ficha Técnica

Terminal de ônibus Batistini 
Local São Bernardo do Campo (SP)
Início do projeto 2014
Área de intervenção 20.260,30 m²
Área construída 4.003,60 m²

Arquitetura 23 SUL – André Sant’Anna da Silva, Gabriel Manzi, Ivo Magaldi, Lucas Girard, Luís Pompeo, Luiz Florence, Moreno Zaidan, Tiago Oakley (autores); Anelise Bertolini, João Miguel Silva, Leonardo Klis, Alexandre Haggerty, Camila Gascon e Felipe Tricoli (colaboradores)
Gerenciamento do contrato, engenharias e consultorias Consórcio Planservi, Hagaplan, Oficina Consultores
Iluminação Cláudio Furtado
Estrutura de concreto Pdelta Engenharia - Pericles Palazzi
Estrutura metálica Alberto Hamazaki
Maquete eletrônica 23 SUL

Texto de Camila Gonzalez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 447
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora