Edição 440: Os chãos da cidade

Publicamos nesta edição três projetos recentemente implantados em São Paulo que, próximos geograficamente (um no centro, outro na Vila Buarque e o terceiro na avenida Paulista) e embora diversos em seus programas específicos, maximizam tanto quanto o possível o desfrute público dos seus domínios internos e externos. Não só compartilham a criação de um térreo livre como também replicam coincidentemente esse chão democrático em outras cotas da arquitetura: o Sesc 24 de Maio (Paulo Mendes da Rocha e MMBB), no 3º e 11º andares; o Instituto Maria Antônia (Una Arquitetos), no pátio aberto do pavimento inferior; e o Instituto Moreira Salles (Andrade Morettin Arquitetos, equipe de que trata a seção Perfil), no 5º piso.

É uma experiência e tanto, assim, percorrer estas obras com o intuito de vivenciar diferentes concepções arquitetônicas de espaços livres, o que, por exemplo, pode se dar - comparativamente - pela forma como se caminha por eles, descendo uma rampa a céu aberto, subindo por rampa contínua interna ou rapidamente através de escada rolante que percorre três andares em percurso direto.

São aspectos tangenciais ao cerne dos programas de cada projeto, mas importantes porque materializam o discurso da arquitetura em prol de uma cidade melhor - mais livre e amigável ao cidadão. Um desejo há tempos manifestado pelos arquitetos, como comprovam os longos anos de desenvolvimento de dois dos três trabalhos em questão: foi em 2001 que o Una Arquitetos começou a idealizar o seu projeto para o Maria Antônia, e em 2002 que Paulo Mendes da Rocha e MMBB se debruçaram pela primeira vez sobre a encomenda do Sesc.

A vida nas cidades é também o tema da entrevista que realizamos com o pernambucano Roberto Montezuma, que trata das metrópoles brasileiras, e de outras duas matérias da seção Escalas: o centro de lazer projetado pela equipe de Adriana Levisky para o Hotel Águas de São Pedro (SP) e a urbanização em área de São Bernardo do Campo (SP), associada à concepção de um edifício de habitação social pelo escritório de Marcos Boldarini. Ambos os profissionais integram a comissão julgadora do concurso URBAN21 que, promovido pela revista PROJETO com o patrocínio da Alphaville Urbanismo, completou agora a sua 3ª edição.

A matéria sobre o certame revela os 1º e 2º colocados, assim como as três menções honrosas concedidas pelo júri, formado também por Elisabete França, Carlos Leite, Marcelo Willer e Fernando de Mello Franco. E tem mais: Adilson Melendez faz um retrospecto do projeto da Cidade Pedra Branca, em Palhoça (SC), e Haroldo Pinheiro se despede das suas duas gestões como presidente do CAU/BR, assinando a seção Colunas. Na seção Finestra, um pouco mais sobre o Instituto Moreira Salles, em matéria de Gilmara Gelinsky sobre as fachadas de vidro da edificação, um relato sobre o projeto comercial Georgina Business Park (Ilha Arquitetura) e artigo sobre o tratamento de superfícies de alumínio.

Texto de Evelise Grunow, editora executiva| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 440
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora