Edição 448: Arquiteturas diversas

Miguel Pinto Guimarães é o tema da seção Perfil desta edição da PROJETO na qual apresentamos três das suas recentes criações - desenvolvidas junto com as sócias Adriana Moura e Renata Duhá - e um relato sobre a trajetória do arquiteto até aqui. Impressionam a sua imaginação aguçada (um dos seus impressionantes desenhos de infância ilustra a matéria) e a sua versatilidade criativa.

Também o arquiteto e lighting designer Carlos Fortes é um dos protagonistas da edição. Seu nome foi surgindo quase como unanimidade nos elencos de projetistas dos trabalhos retratados na revista, de modo que a ele dedicamos um artigo com resumo da trajetória profissional e alguns dos projetos recentes (em boa parte, os mesmos mostrados na seção Escalas).

Do Una Arquitetos, apresentamos o projeto de uma residência localizada em Cotia, São Paulo. Ela tem uma contradição intrínseca relativa ao seu tamanho aparente, ou seja, é ao mesmo tempo uma grande e uma pequena casa porque apesar de ocupar grande parte do terreno, apropriando-se da topografia para criar setores domésticos, tem a concisão própria - quer por suas qualidades de espaço ou materiais - do que é acolhedor.

Também dois edifícios residenciais integram a edição, concebidos pelo FGMF Arquitetos (o Jade, em São Paulo) e pelo Estúdio Arthur Casas (o VN Ferreira Lobo, na mesma cidade). Ambos se localizam em endereços valorizados, mas se destinam a públicos diversos como evidenciam os tamanhos contrastantes dos seus apartamentos. No projeto assinado pelo FGMF as unidades chegam a medir 360 metros quadrados de área, enquanto que naquele de Casas, partem da dimensão de exíguos 25 metros quadrados.

Em relação ao patrimônio construído, tombado ou não, há dois projetos de naturezas diversas: a intervenção zelosa do A&P Arquitetura e Urbanismo nas instalações da prefeitura de Goiás, visando sua reforma e ampliação, e o projeto do Estúdio Tupi, de São Paulo, para a implantação de um showroom de cortinas (em conjunto com outras empresas de decoração e interiores) naquela que é uma das grandes obras do arquiteto Paulo Mendes da Rocha: a loja Forma, em São Paulo.

Apesar de serem reversíveis todas as intervenções empreendidas pelo arquiteto Aldo Urbinati e equipe, elas não seguem o princípio da distinção do novo em relação ao existente. Transformam, ao contrário, a cor da fachada - o cinza do alumínio foi recoberto com a cor vermelha -, mexem nos guarda-corpos, entre outras operações relatadas na matéria sobre o projeto, junto com aquele da loja NK Store.

Por falar em reforma, da associação entre os escritórios TODOS Arquitetura e ENTRE Arquitetos resulta o projeto de reforma completa da sede do banco Santander, em São Paulo. Sua complexa tarefa - desenvolvida ao longo de intensos dois anos de trabalho - foi comunicar, por meio da arquitetura e tecnologias correlatas, a nova cultura de trabalho da empresa.

Por fim, na seção Entrevista, disponibilizamos ao leitor um resumo do debate que sucedeu às palestras de Elizabeth de Portzamparc e Sou Fujimoto no FIAC (Fórum Internacional de Arquitetura e Construção), ocorrido em março durante a feira de revestimentos Expo Revestir, com nossa curadoria; e na seção Finestra mostramos um projeto em Campo Grande (MS): a unidade do Senac dedicada, com sua fachada têxtil, à gastronomia.

BOA LEITURA!

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 448
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora