Oscar Niemeyer: Cidade Administrativa, BH

Nova “cidade” mineira tem poucos edifícios e caráter monumental

Minas Gerais, o estado brasileiro com o maior número de municípios, adicionou à sua extensa lista uma nova “cidade”. Desenhada por Oscar Niemeyer, a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves foi inaugurada no início de março último. A sede do Poder Executivo estadual fica em Serra Verde, bairro da zona norte de Belo Horizonte, e é constituída por cinco edifícios, nos quais o arquiteto enfatiza o caráter monumental.

Fichas técnicas
Fornecedores
Plantas, cortes e fachadas
Vista frontal do Palácio Tiradentes. O edifício está suspenso por tirantes
Vista frontal do Palácio Tiradentes. O edifício está suspenso por tirantes
Nova “cidade” mineira tem poucos edifícios e caráter monumental
Minas Gerais, o estado brasileiro com o maior número de municípios, adicionou à sua extensa lista uma nova “cidade”. Desenhada por Oscar Niemeyer, a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves foi inaugurada no início de março último. A sede do Poder Executivo estadual fica em Serra Verde, bairro da zona norte de Belo Horizonte, e é constituída por cinco edifícios, nos quais o arquiteto enfatiza o caráter monumental.

Em 2003, no início do seu primeiro mandato como governador de Minas Gerais, Aécio Neves encomendou ao arquiteto Oscar Niemeyer o projeto para uma nova sede do governo estadual. À época, numa das ocasiões que se encontraram, Aécio declarou que ela seria a maior obra arquitetônica implantada no estado nos últimos 50 anos. Em 4 de março passado, já com o nome oficial de Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, o complexo foi inaugurado, embora ainda com algumas partes não concluídas.

Como afirmara Aécio - que, reeleito em 2006, deixaria o cargo menos de um mês depois da inauguração, para disputar uma vaga no Senado -, trata-se da maior obra arquitetônica no estado nas últimas cinco décadas. O centro institucional mineiro supera os 265 mil metros quadrados de área construída, implantados em lote com dimensão superior a 800 mil metros quadrados, no qual antes existira um hipódromo.

As secretarias e várias repartições estaduais ocupam as duas edificações curvas
As secretarias e várias repartições estaduais ocupam as duas edificações curvas
O centro de convivência, à esquerda, fica em posição intermediária entre os edifícios das secretarias
O centro de convivência, à esquerda, fica em posição intermediária entre os edifícios das secretarias
A luz natural ilumina o centro de convivência através da cúpula envidraçada
A luz natural ilumina o centro de convivência através da cúpula envidraçada

Onde tudo transpira grandiosidade - a um dos edifícios, o Palácio Tiradentes, tem sido atribuído o título de maior prédio suspenso do mundo, com seu vão medindo 147 metros de comprimento por 26 metros de largura -, a arquitetura é também monumental. Em depoimento à revista Veja, Niemeyer disse que o complexo é uma aula magna de arquitetura e de administração pública. “Além de concentrar milhares de funcionários em apenas dois prédios, ele valoriza ao máximo as áreas livres e verdes”, afirmou.

Anos antes, quando mostrou ao governador a proposta (no momento em que o terreno cogitado era outro, o do Aeroporto Carlos Prates), Niemeyer escreveu: “Senti que o governador se entusiasmava com o estudo e, sem falsa modéstia, acrescentei: ‘Acho que vai ficar tão bonito, tão imponente, que diante dele criei uma larga rua de passeio - só para pedestres - onde o povo, satisfeito, possa também apreciar a beleza dessa obra que, a meu ver, vai marcar o início dessa arquitetura monumental que, em certos casos, se faz fundamental’”.

A cidade administrativa fica na rodovia Prefeito Américo Renê Gianetti, ligação entre a capital e o Aeroporto de Confins (que em seu nome oficial também homenageia Tancredo Neves, tio de Aécio). A definição pela área que antes abrigou o hipódromo veio acompanhada da argumentação governamental de que o complexo seria indutor do desenvolvimento da região norte da cidade e de municípios vizinhos.

A nova “cidade” mineira é, provavelmente, a que possui o menor número de construções no Brasil: a rigor são apenas cinco prédios. “Quando o governador veio ver o projeto, esperava, como a grande maioria, que o palácio governamental estivesse cercado de 15 ou mais edifícios para atender o programa fixado e o terreno tão bem escolhido dividido em pequenas áreas que aqueles prédios criariam”, descreveu Niemeyer em 2004.

O centro administrativo é constituído pelo Palácio Tiradentes, pelos edifícios Minas e Gerais, centro de convivência, Auditório Juscelino Kubitschek e instalações de apoio. Vistos da rodovia, os dois prédios ocupados pela secretarias, desalinhados, estão à direita do terreno, com as faces principais voltadas para a estrada e o fundo do lote, intercalados pelo volume do centro de convivência. À esquerda deles situa-se o auditório, à direita do qual está o palácio, em alinhamento desigual.

De configurações formais gêmeas, os edifícios Minas e Gerais possuem subsolo, pilotis e 14 pavimentos-tipo com áreas internas livres. Cada andar possui aproximadamente 7 mil metros quadrados, com suas extremidades ocupadas por refeitórios; para o gabinete dos secretários foi reservado espaço de 50 metros quadrados. As faces mais extensas são revestidas por vidros de tonalidade escura, com características que devem aliviar a insolação, uma vez que não existe nenhum tipo de anteparo protetor externo.

A superfície curva da fachada dos edifícios parece abraçar o centro de convivência
A superfície curva da fachada dos edifícios parece abraçar o centro de convivência
As edificações gêmeas e o palácio são os prédios de maior dimensão do conjunto, que tem no total cinco construções
As edificações gêmeas e o palácio são os prédios de maior dimensão do conjunto, que tem no total cinco construções
A ligação do heliponto com o palácio é um dos elementos de contraventamento do edifício
A ligação do heliponto com o palácio é um dos elementos de contraventamento do edifício
Fachada posterior do palácio: conexão com a torre de circulação vertical e o heliponto
Fachada posterior do palácio: conexão com a torre de circulação vertical e o heliponto

Nos megaedifícios, a superfície envidraçada é interrompida, na porção mais elevada, por um pavimento vazado (equivalente ao nono piso) no qual serão instalados salas de reuniões, restaurantes e cafeterias, formando um andar de convivência. A distância, sobressai a contraposição entre os vidros escuros e as áreas brancas das empenas laterais, dos pilotis e da cobertura.

As duas edificações têm as faces mais longas voltadas para os lagos, implantados um na porção frontal do lote, mais próximo da rodovia, e outro no fundo. Interposto aos edifícios, o centro de convivência tem forma circular e três pavimentos, totalizando 7 mil metros quadrados de área. Agência de correio, bancos, lanchonetes e lojas de conveniência na borda do círculo compõem com os restaurantes os ambientes que servidores e visitantes poderão utilizar. No centro do círculo, uma cúpula envidraçada deixa entrar a luz natural.

O governador, o vice e os chefes dos gabinetes Civil e Militar compartilham o Palácio Tiradentes, prédio de 21 mil metros quadrados de área no qual irão trabalhar 300 funcionários. A edificação é uma caixa retangular, igualmente envidraçada, formada por quatro pavimentos (cada um com 3 mil metros quadrados), mais subsolo e pilotis - num desses pavimentos existe um salão de 1,2 mil metros quadrados destinado a solenidades oficiais. Em relação ao complexo, o gabinete do governador tem dimensão até modesta: 138 metros quadrados.

Figura recorrente na obra do arquiteto, as rampas aparecem no auditório e no acesso solene ao palácio
Figura recorrente na obra do arquiteto, as rampas aparecem no auditório e no acesso solene ao palácio
Ele tem capacidade para 490 pessoas
Ele tem capacidade para 490 pessoas
O auditório tem 60 metros de comprimento e 20 metros de altura em sua parte mais elevada
O auditório tem 60 metros de comprimento e 20 metros de altura em sua parte mais elevada

José Carlos Sussekind, engenheiro responsável pelo cálculo da estrutura, afirma que a edificação não possui apoios e que não há projetos semelhantes fora do país - ele diz que os arquitetos ainda não se atrevem a tanto. As referências, acrescenta, são os outros projetos de Niemeyer implantados no Brasil, tais como os edifícios da Procuradoria Geral da República e do Museu Nacional, ambos em Brasília.

A construção é formada por dois pórticos paralelos em concreto com laterais em balanço cujas formas lembram uma mesa descomunal. Tranversais, 15 vigas de concreto de 20 metros de comprimento por 3,4 metros de altura repousam sobre os pórticos. Tirantes partem dessas vigas (são 30 tirantes formados por três conjuntos de 12 cabos de aço cada um) e mantêm suspensa a barra envidraçada. O esforço estrutural resulta no vão de 147 metros de comprimento por 26 de largura. A rampa assinala o acesso.

Ele tem capacidade para 490 pessoas
Ele tem capacidade para 490 pessoas
Cidade administrativa: aposta do
Cidade administrativa: aposta do governo para mudar o vetor de crescimento urbano

Próximo do edifício-sede do governo, ao qual se comunica pela superfície e por um túnel no subsolo, ergue-se o Auditório Juscelino Kubitschek. Espaço de 4 mil metros quadrados de área, é inteiramente em concreto, com a cobertura sinuosa que, de certo modo, remete à forma explorada pelo autor numa de suas mais conhecidas obras em Belo Horizonte, a igreja da Pampulha. O auditório pode receber 490 pessoas e será utilizado em apresentações, palestras e congressos oficiais.


Texto de Adilson Melendez
Publicada originalmente em PROJETODESIGN
Edição 363 Maio de 2010

Oscar Niemeyer Oscar Niemeyer formou‑se engenheiro-arquiteto pela Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, em 1934. Aos 102 anos, continua em atividade. A Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves é sua maior obra em Belo Horizonte
Recepção em um dos andares do Palácio Tiradentes
Recepção em um dos andares do Palácio Tiradentes
Recepção no hall de entrada de um dos prédios das secretarias, onde as lajes têm 200 metros de comprimento
Recepção no hall de entrada de um dos prédios das secretarias, onde as lajes têm 200 metros de comprimento
Foyer do Auditório JK
Foyer do Auditório JK
Contido em um edifício de formato sinuoso, o auditório possui 490 assentos
Contido em um edifício de formato sinuoso, o auditório possui 490 assentos
Estações de trabalho nas secretarias. A ocupação só terminará no segundo semestre
Estações de trabalho nas secretarias. A ocupação só terminará no segundo semestre

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 363
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora