URBAN21: 1º Lugar

Reconhecer - Olhar o urbano através do detalhe

Primeiro lugar do URBAN21, a equipe da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) desenvolveu projeto urbanístico para duas áreas do 4º Distrito de Porto Alegre - local que, outrora uma potente zona industrial da cidade, é hoje marcado pela presença de muitos vazios urbanos

A proposta vencedora do URBAN21, intitulada Reconhecer - Olhar o urbano através do detalhe, partiu do entendimento de que é preciso buscar o equilíbrio entre duas posturas ainda vigentes: de um lado, o saudosismo que prega a intocabilidade do legado histórico, considerando qualquer nova ação intrusiva à memória; e, de outro, a maior permissividade à modernização irrestrita que substitui, com a inserção de novas edificações, os momentos já vividos.

Para o grupo de alunos da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), de Porto Alegre, é preciso continuar construindo a história, sem desdenhar dos ganhos do passado e incorporando traços do contemporâneo ao substrato de outros tempos. O 4º Distrito de Porto Alegre foi escolhido como área de estudo. Trata-se de uma antiga zona industrial, ligada ao principal acesso à cidade e muito próxima ao centro histórico. Atualmente, possui muitas edificações subutilizadas ou em desuso, assim como grandes áreas livres.

O projeto de intervenção urbanística buscou trabalhar a coexistência dos tempos, legitimar a dimensão histórica do território, reconhecer sua existência. Tudo isso propondo ações pontuais que geram um círculo de abrangência, ou seja, pensadas como parte de um todo amplo e definido.

Para estruturar o projeto, a equipe selecionou dois cenários em situações distintas: um representado pela antiga Companhia de Fiação e Tecidos Porto Alegrense (Fiateci), que, fruto de uma intervenção recente, configura um condomínio fechado; outro, pela antiga fábrica de chocolates Neugebauer, um grande imóvel catalogado como edificação de estruturação que, mesmo abandonado, se encontra bem preservado. “A identificação da dualidade dessas zonas - uma que já foi alvo de intervenção, e a outra que ainda se encontra na sua forma original - e a proposição de um projeto urbanístico para cada uma delas representa a essência do trabalho apresentado”, revelam, em texto, os autores do projeto.

Localizado na rua Conselheiro Camargo, o condomínio Fiateci mudou quase que completamente a paisagem dessa zona da cidade - marcada pela existência de edifícios residenciais e pavilhões fabris e industriais - ao ostentar torres de 21 pavimentos e também por seu tipo de implantação (constituído a partir de torres soltas).

Foi proposto, portanto, uma rua de pedestres, atrelada a marcos preservados, que desempenha papel importante na conformação da ambiência da região, facilitando a apropriação do espaço pela população por meio da identidade local. Também figura na proposta a criação de edifícios tão altos quanto os de seu entorno imediato, para aumentar o aproveitamento do solo urbano e dissolver a influência das quatro grandes torres no ambiente, além de permitir o uso do térreo para comércio e serviços - vitalizando a rua e transmitindo segurança.

No caso da área da Neugebauer, o projeto busca recuperar a importância econômica do bairro - antes marcado pelos usos concomitantes de moradia e trabalho -, implementando pontos de cultura, lazer e serviços. A fábrica, uma arquitetura de valor histórico, abriga o Laboratório Urbano - centro de conscientização urbanístico e arquitetônico e equipamento público. Os alunos propõem, ainda, a criação de um polo educacional. A ideia é que as empresas e entidades envolvidas nesse núcleo de tecnologia sejam sediadas tanto em edificações existentes quanto em novas.

Um eixo, que se destaca pelo uso de tratamento de piso, induz o pedestre a transitar pelo preservado e o proposto, culminando na orla do Guaíba e contribuindo para o resgate da relação entre a cidade e o rio.
Equipe: Francine Zarpellon Franco, Aloísio Gianesini Júnior, Bárbara Remussi, Carol Solaro, Eduarda Rossatto, Gustavo Franco, Lucas Gomes e Ricardo Dorfman
Orientadora: Cibele Vieira Figueira
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre (RS)

Parecer do júri: Escolha unânime, a proposta, que abrange território do antigo distrito industrial da capital gaúcha, recebeu elogios pelo entendimento do local - diagnóstico correto e preciso, reconheceu o júri - e pela qualidade da apresentação. Para a comissão julgadora, o projeto tratou com habilidade as diversas escalas, desde o desenho urbano até a volumetria das edificações. Interessante também a reflexão apresentada sobre o conceito de patrimônio, que fala em continuar construindo a história sem, no entanto, desdenhar os ganhos do passado.

Clique aqui para ver o PDF com o projeto completo

Urban 21: clique para ver o 2º colocado
Urban 21: clique para ver as menções honrosas
Urban 21: clique para ver todos os projetos



Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 440
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora