Edição 444: Transformar para perenizar

 

 

O Königsberger Vannucchi Arquitetos Associados é o escritório retratado na nossa seção Perfil. Comandada pela dupla de arquitetos Jorge Königsberger e Gianfranco Vannucchi, e mais recentemente também pelo engenheiro Daniel Toledo, a produção da equipe tem sido acompanhada com atenção pela PROJETO, como atestam as menções a matérias passadas feitas por Adilson Melendez na sua reportagem. Atuando sobretudo no segmento do mercado imobiliário, a pretensão dos sócios é criar as condições, organizacionais e humanas, para fazer "da KV", como informalmente é chamado o escritório, um ateliê de talentos - plano que batizaram de KV 2020. Foi em 2014 que efetivamente o projeto começou a ser implantado, quando o escritório completava 40 anos de atuação. Em suma, trata-se de produzir arquitetura de forma descentralizada e valorizando coautorias, de modo a se caminhar em direção à perenidade da empresa, independentemente da presença dos sócios pioneiros. A matéria aborda ainda o projeto do Sesc Avenida Paulista, inaugurado no final de abril e desde então outro sucesso de frequência da via, e o projeto ainda não implantado de desenho urbano e arquitetura para um trecho de bairro da zona leste de São Paulo.

Semelhante ao projeto futuro do KV - o Eixo Platina -, também o projeto do escritório Levisky Arquitetos | Estratégia Urbana publicado nesta edição, a nova unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), está localizado na zona leste de São Paulo. Através da setorização do programa em três blocos que contornam um pátio ajardinado, a equipe liderada por Adriana Levisky privilegiou a interação entre público e privado, potencializando o fato de serem gratuitas 80% das vagas de ensino profissionalizante ofertadas pela instituição no local - um projeto de quebra de barreiras, um dos assuntos da entrevista que fizemos com os curadores do pavilhão brasileiro na Bienal de Veneza, publicada a seguir.

De Brasília, publicamos o projeto de Paulo Henrique Paranhos, do escritório Tao Arquitetura, para a Embaixada da Índia no Brasil. O projeto foi escolhido em concurso fechado realizado em 2003 e a execução da obra terminou no final de 2017, ou seja, 14 anos depois do início do processo. Um longo ciclo entre concepção e realização, não raro de ocorrer na vida do arquiteto.

A seção Escalas desta edição conta ainda com dois projetos internacionais, cujas concepções, no entanto, envolvem arquitetos brasileiros. O primeiro deles é para o hotel-vinícola localizado em Sacramonte, no Uruguai, em que arquitetura, paisagismo e arte somam esforços a fim de propiciar o amplo desfrute do lote pelo usuário. São, assim, refúgios isolados que constituem as unidades de hospedagem do projeto concebido pelo MAPA Arquitetos, um coletivo sediado no Brasil e no Uruguai. O outro está localizado em Nimes, no sul da França, e foi concebido pela carioca Elizabeth de Portzamparc. Elizabeth, cuja carreira se encontra atualmente no ápice da produção - com projetos de urbanismo, moradia social, equipamentos urbanos e torre de última geração, em andamento na Europa e Ásia (em breve publicaremos um artigo sobre eles) - criou um museu ao mesmo tempo ousado - visualmente - e discreto - na estratégia de implantação - que qualifica a urbanidade do entorno. Ele foi inaugurado no início de junho.

BOA LEITURA!!!

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 444
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora