Studio Fuksas: Empório Armani

Vermelho de grife

A fita vermelha em fibra de vidro é o elemento de maior intensidade plástica do espaço.
Além de configurar um túnel, ela contrasta com os tons neutros, percorre os espaços e serve de banco no restaurante
Vermelho de grife
É a mesma noção presente em seus projetos de escala urbana,
nos quais o espaço não edificado e aquele que se consegue criar com o objeto construído geram intenso diálogo.
No projeto da loja, o Studio Fuksas aprofunda conceitos até então utilizados na escala urbana. Tudo é construído, o cheio e o vazio se confundem, as tensões se acirram, mas há uma suavidade,
uma predisposição quase natural de deixar fluir o olhar mais focado e, ao mesmo tempo, livre, na observação dos espaços.
Ocupando área de 5 mil metros quadrados de um edifício localizado entre a Chater Road e a Pedder Street, unido por passagens de pedestres ao complexo de escritórios por onde circulam diariamente cerca de 40 mil pessoas, a segunda maior loja do Empório Armani - perde apenas para a de Milão, Itália - procura ser um ponto de encontro.
Dispostos em dois andares, os espaços abrigam, no térreo, as áreas de acessórios, flores, livros e cosméticos. No pavimento superior, vestuário, itens para a casa, os serviços e o restaurante.
O arquiteto, em parceria com a esposa, Doriana Mandrelli, responsável pelo setor de design do escritório, explorra o conceito de fluidez. Não existe nenhuma referência à geometria clássica, mas à mobilidade e às possíveis modificações espaciais.
O uso do vidro plano e curvo como definidor físico do espaço deixa livre o olhar, mas orienta o percurso e dissolve a fronteira entre o interior e o exterior. Tira também toda a materialidade de cena, e o local passa a ser trabalhado pela colocação de panos de luz, que saem ora do chão, ora do forro (definidor virtual do ambiente) e do mobiliário (realizado em vidro e plexiglass transparente ou translúcido, com detalhes em aço inoxidável acetinado).
As roupas, os cosméticos, os acessórios e toda a linha Armani parecem flutuar no espaço.
A escada (composta de duas lâminas de aço, com degraus em vidro e corrimão tubular em plexiglass, com alma de aço) é o único elemento construído que se impõe sutilmente sobre a transparência de todo o conjunto. Um único e contínuo percurso atravessa a loja de flores e a perfumaria, sem interrupção.
Os focos de luz são invisíveis e o pavimento de cor neutra em resina amplifica as imagens, refletindo-as.
Rompendo a suavidade de tons, transparências e simplicidade dos materiais, fortes elementos de contraste e continuidade são inseridos: duas grandes fitas vermelhas em fibra de vidro laqueadas, medindo no total 105 metros de comprimento, 70 centímetros de largura e
8 centímetros de espessura.
Uma delas, no restaurante, transforma-se em banco do bar, entrelaça-se, abre-se, transforma-se num espaço do restaurante, sobe, desce novamente, torna-se mesa, até tocar o chão.
A outra, em forma de espiral, configura um túnel, por onde se chega à loja. Esse inusitado elemento reflete uma luz de cor vermelha que pode ser vista da fachada envidraçada na Pedder Street.
O movimento dessa forte “pincelada” de vermelho, desse elemento que se desgruda do forro, deixando um rastro de luz, a iluminação nas paredes translúcidas que variam tanto de intensidade luminosa como cromática mostram a capacidade de Fuksas de lidar com o espaço por meio de forte componente plástico, que se aproxima muito de um olhar pictórico: não o desenho de formas, mas de espaços.

Texto resumido a partir de reportagem
de Assunta Viola
Publicada originalmente em PROJETODESIGN
Edição 280 Junho de 2003


O piso e o teto, de cor neutra,
amplificam as imagens, refletindo-as
Setor de cosméticos:
espaço marcado pela iluminação e grandes fotos
Esquema da fita em fibra de vidro
Escada interliga o térreo ao pavimento superior; as fachadas são transparentes, permitindo ampla visão da rua
Unido por passagens de pedestres ao complexo de escritórios, o Empório Armani de Hong Kong, a segunda maior loja do grupo, procura ser ponto de encontro
Vista das escadas e da área expositiva,
no pavimento superior
Faixas com lâmpadas fluorescentes, no piso e no teto, destacam roupas e prateleiras
Vitrine com manequins pendentes,
presos por fios de aço
O mobiliário, em vidro e plexiglass transparente ou translúcido, e a iluminação definem os ambientes
Setor de cosméticos: espaço marcado pela iluminação e grandes fotos

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 280
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora