Maneco Quinderé: Luminotécnica de restaurante, Rio de Janeiro

Luminárias especiais dão forma ao conceito de pureza nobre

A dupla Maneco Quinderé e Miguel Pinto Guimarães, respectivamente iluminador e arquiteto, compartilhou a ideia de criar uma visualidade tão simples quanto possível em meio à identidade sofisticada do restaurante Oro, inaugurado recentemente no Rio de Janeiro. Eles conceberam um contraponto ao rebuscamento da culinária do chef Felipe Bronze, que costuma trabalhar com inusitadas misturas de ingredientes.

Fichas técnicas
Fornecedores
Destacam-se no andar superior as luminárias especiais, feitas com tela de cobre
Destacam-se no andar superior as luminárias especiais, feitas com tela de cobre
Luminárias especiais dão forma ao conceito de pureza nobre
A dupla Maneco Quinderé e Miguel Pinto Guimarães, respectivamente iluminador e arquiteto, compartilhou a ideia de criar uma visualidade tão simples quanto possível em meio à identidade sofisticada do restaurante Oro, inaugurado recentemente no Rio de Janeiro. Eles conceberam um contraponto ao rebuscamento da culinária do chef Felipe Bronze, que costuma trabalhar com inusitadas misturas de ingredientes.

O conceito de pureza nobre inspirou formalmente a escolha de materiais naturais com matriz cromática semelhante - o marrom do ladrilho e da madeira - e, no que diz respeito à luminotécnica, a explicitação das lâmpadas e do cobre como unidades elementares do projeto.

“Voltamos a Thomas Edison”, observa Maneco Quinderé, ao se referir às luminárias especiais que criou para o restaurante Oro.

No pavimento térreo há o pendente feito com folha de cobre e lâmpada incandescente de 300 watts, revestida desde a base até a porção do corpo que acondiciona o filamento elétrico. O cobre alude à liga metálica que dá nome ao restaurante e, ao mesmo tempo, define a aparência artesanal da peça criada pelo iluminador carioca.

Materiais naturais e homogeneidade cromática são enfatizados pela simplicidade de recursos da luminotécnica
Materiais naturais e homogeneidade cromática são enfatizados pela simplicidade de recursos da luminotécnica
 
A luminosidade difusa e rebaixada dos pendentes especiais é complementada pela luz indireta geral, proveniente das paredes e forros
Luminosidade difusa e rebaixada dos pendentes especiais
é complementada pela luz indireta geral, proveniente das
paredes e forros

Com ela, a ambiência tende intencionalmente à baixa luminosidade, para o que colaboram a dimerização e o artifício de ligar lâmpadas de 220 volts em circuito de 110 volts. Trata-se do efeito luz de velas preconizado pelo projeto e pontuado com certa liberdade sobre as mesas de madeira.

Originário do teatro, Quinderé acredita que os restaurantes e as residências oferecem ao lighting designer maior liberdade técnica e formal, o que de certa forma explica a identidade artesanal, customizada, de seus projetos na área - característica que ele atribui à carência de indústrias de elevada tecnologia no Brasil e que recebeu elogios do veterano iluminador Peter Gasper em entrevista concedida a PROJETO DESIGN (edição 351, maio de 2009).

Portanto, faz parte de seu cotidiano a investigação contínua de materiais como a delicada tela de cobre originalmente utilizada na área médica e empregada nas luminárias circulares do segundo andar do restaurante.

Elas são como as peneiras que se usam na garimpagem do ouro - outra referência simbólica do projeto - e servem de suporte à disposição orgânica de lâmpadas incandescentes, do tipo vela, sobre a densa malha metálica.

As peças especiais que dão identidade ao projeto têm como retaguarda a iluminação geral indireta proveniente de paredes e tetos (sancas invertidas que utilizam fluorescentes tubulares) e a visualidade pop das vitrines da cozinha e do bar.

Na primeira, a aparência colorida da luz decorre da aplicação sobre o vidro transparente da gelatina em tonalidade rosa, acessório habitualmente utilizado na luminotécnica teatral; na segunda, a luz amarela homogênea tem origem no requadramento do balcão envidraçado com fita de led.


Texto de Evelise Grunow
Publicada originalmente em PROJETODESIGN
Edição 373 Março de 2011

Maneco Quinderé O lighting designer Maneco Quinderé é iluminador de espetáculos de teatro, dança e música. Recebeu importantes prêmios nacionais, como o Shell, Sharp e Molière
A sofisticação com elementos singelos foi o mote dos projetos arquitetônico e luminotécnico
A sofisticação com elementos singelos
foi o mote dos projetos arquitetônico
e luminotécnico
A iluminação colorida do balcão do bar, feita com led, resulta na aparência pop
A iluminação colorida do balcão do bar, feita com led, resulta na aparência pop
As texturas dos interiores foram referência para o aspecto artesanal das luminárias especiais de cobre
As texturas dos interiores foram referência para o aspecto artesanal das luminárias especiais de cobre
 
A gelatina aplicada sobre a vitrine da cozinha filtra a luz fluorescente e funcional com interessante efeito colorido, que contrasta com a relativa sobriedade dos interiores
A gelatina aplicada sobre a vitrine da cozinha filtra a luz fluorescente e funcional com interessante efeito colorido, que contrasta com a relativa sobriedade dos interiores
No térreo destacam-se os pendentes personalizados, feitos com chapas de cobre que envolvem lâmpadas incandescentes de 300 watts
No térreo destacam-se os pendentes personalizados, feitos com chapas de cobre que envolvem lâmpadas incandescentes de 300 watts

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 373

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora