Sidonio Porto: Treliças metálicas e amplos painéis de vidro na fachada

Treliças metálicas na nova sede da BrazilGlass

Projeto do escritório Sidonio Porto para a nova sede da BrazilGlass, em construção no interior de São Paulo, prevê edifício com estrutura metálica e amplos painéis de vidro nas fachadas.

Às margens da rodovia Presidente Dutra (km 179), no município de Guararema, interior de São Paulo, a nova fábrica da indústria de vidros planos BrazilGlass, em construção, deverá se transformar em um ícone arquitetônico na região. Essa era a intenção da empresa ao contratar o escritório de Sidonio Porto para o desenvolvimento do projeto, que no ano passado conquistou o Prêmio IAB/MG, na categoria planos e projetos/edifícios para fins industriais.

Composta por dois blocos, destinados à administração e à área de produção e serviços, a construção ajusta-se à topografia em desnível do terreno. O primeiro edifício tem estrutura metálica e fechamentos em sua maioria feitos por amplos painéis de vidro. O segundo terá estrutura e vedação com elementos pré-moldados de concreto.

À frente do conjunto arquitetônico, como elemento de maior impacto visual, está o bloco de escritórios, restaurante e showroom. Em sua cobertura será construído um apartamento para visitantes, circundado por jardins que constituem o telhado verde dos andares abaixo. A estrutura treliçada, formada por perfis de aço, é também parte da composição estética das fachadas, ao mesmo tempo em que permite o recuo da face de vidro.

A implantação do empreendimento de 221.590 metros quadrados preservará bosques naturais, nascentes de água e a topografia natural através de mínimos cortes e aterros. O paisagismo intensificará a presença de espécies nativas nas áreas que ligam os setores da fábrica e também nas divisas do terreno, amenizando o efeito dos ventos. Jardins foram posicionados para ambientação dos espaços de trabalho e recepção aos visitantes.

A ideia é pleitear a certificação ambiental para construções industriais. Para isso serão implantados sistemas de captação de águas pluviais, tratamento de esgoto, utilização de placas solares e fotovoltaicas nas coberturas e redução de desperdícios com o máximo de industrialização da construção, entre outras propostas. A obra deverá ser concluída em 2017. O projeto foi desenvolvido pelos arquitetos Sidonio Porto, Lucia Porto e Marcio Porto, tendo como colaboradores os arquitetos Larissa Gomes Anibal, Daniela Milani e Tomaz Cabrera.



Texto de | Publicada originalmente em Finestra na Edição 97
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora