Jean Nouvel revela projeto para Cidade Matarazzo, em SP

O empreendimento conta ainda com projetos do escritório Triptyque e do arquiteto Philippe Starck

A construção de uma exuberante torre projetada pelo arquiteto francês Jean Nouvel (Pritzker 2008) trará nova vida ao histórico Complexo Matarazzo, em São Paulo, área hoje tombada e que abrigou as edificações do antigo Hospital Matarazzo. O projeto, nomeado Torre Rosewood, será um edifício-paisagem para uso como hotel-residência, composto pela vegetação local de flores, plantas e árvores de até 15 metros de altura, que tomarão conta dos espaços públicos e privados da edificação, além dos terraços e telhados, como uma homenagem à floresta da Mata Atlântica.

A ideia proposta pelo arquiteto é que este jardim vertical, somado ao uso de brises de madeira para a composição da fachada, aumente o senso de continuidade entre a torre e o seu entorno, e ainda ofereça proteção aos residentes.

Idealizada pelo Grupo Allard, a torre de 100 metros de altura contará com 151 quartos de hóspedes e 122 suítes residenciais, dois restaurantes, um bar e um caviar lounge – distribuídos em 24 andares, com volumetrias e tipologias diferentes em cada nível. O projeto de interiores será de outra grande estrela mundial, o arquiteto e designer Philippe Starck.

O empreendimento terá também três piscinas, um SPA e uma área fitness, dando origem ao primeiro “hotel palácio”, avaliado com seis estrelas, da marca hoteleira internacional Rosewood na América Latina, que será conectado à maternidade tombada Filomena Matarazzo, construída em 1943.

Segundo Alexandre Allard, diretor do grupo, um dos maiores desafios foi viabilizar o projeto com uso de materiais genuinamente brasileiros. “Hoje eu posso afirmar que 90% dos fornecedores deste projeto são locais, com materiais produzidos no Brasil”, afirmou Allard durante o lançamento da pedra fundamental que marca o início desta fase de obras, após um ano de preparação do terreno.

No evento, questionado sobre a contradição de um arquiteto francês realizar um projeto desta escala no Brasil, Nouvel assume ser um profissional contextual, e explica que julga necessário que um projeto traga visões tanto externa, quanto local. “Há uma troca cultural. Estamos tentando criar algo com raiz, por isso é preciso recuperar as características do espaço”, disse o arquiteto.

O escritório franco-brasileiro Triptyque será responsável pelo projeto executivo da Torre Rosewood, além de ser responsável também pelo retrofit das edificações já existentes, tombadas como patrimônio histórico, que terão uso comercial. Ainda, serão os projetistas de outras duas construções na mesma área, para uso corporativo, com no máximo oito pavimentos.

Com inauguração prevista para o final de 2018, o complexo - com área total de 27 mil metros quadrados e 40 mil de área construída - será uma das mais audaciosas expressões criativas do espaço urbano, almejando tornar-se um marco para a cidade.

O projeto representa um investimento de cerca de um bilhão de reias do Grupo Allard e obteve aprovação do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) em janeiro deste ano, e do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental (Conpresp) em março.

Confira o vídeo com depoimento de Jean Nouvel sobre o projeto:

Publicada originalmente em ARCOweb em 07 de Abril de 2016
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora