23 SUL: Sede Administrativa da Fundação Florestal na Estação Ecológica Juréia-Itatins, Peruíbe (SP)

Sem excessos nem omissões

Baseado na utilização de elementos leves industrializados, o projeto desta sede administrativa de instituição estadual de preservação da Mata Atlântica é qualificado pelo equilíbrio do detalhamento arquitetônico: sem excessos nem omissões. As várias tipologias de materiais se encadeiam com precisão e beleza, dando graça à premissa de criar uma edificação com impacto reduzido no meio ambiente

O emprego de componentes industriais é prática recorrente nos projetos do 23 SUL, coletivo de arquitetos sediado em São Paulo, e presente também nesta sede administrativa da Fundação Florestal do Estado de São Paulo. Localizada no chamado Mosaico de Unidades de Conservação de Juréia-Itatins, em Peruíbe (litoral norte de São Paulo), ela reúne as funções administrativas, operacionais, jurídicas, educativas e de pesquisa científica da instituição naquela região.

Já no edital para a contratação do projeto orientava-se o uso de materiais construtivos certificados, que o 23 SUL atende integralmente. Além disso, o escopo do trabalho incluía a concepção de outros três edifícios para locais remotos nas Unidades de Conservação da região, tendo a equipe do 23 SUL adotado estratégia única para o conjunto de projetos: a industrialização com elementos leves.

A estrutura, assim, é de madeira laminada colada (MLC) de pinus tratado, utilizada em pilares e vigas, as lajes são de placa de aglomerado de madeira e painel cimentício e a vedação externa é feita com painel de policarbonato alveolar (espessura reforçada, de 40 milímetros). Igualmente sustentada por estrutura de MLC, a cobertura é de telha metálica do tipo sanduíche (para isolamento termoacústico), com faces brancas aparentes, e internamente as paredes são de placas de MDF revestidas com fórmica branca e sustentadas com madeira (wood frame). Um mês para a montagem da estrutura e seis meses para a totalidade da construção atestam o sucesso da arquitetura no atendimento da estratégia do projeto.

Do ponto de vista da sensibilidade arquitetônica, pode-se dizer que o detalhamento ocorre na medida justa: sem excessos nem omissões. Todos os encontros dos materiais estão resolvidos sem subterfúgios para ocultá-los, a modulação ordena com precisão e graça a relação entre os elementos (estrutura, sistemas e revestimentos) e, consequentemente, é fácil a leitura do edifício, tanto técnica quanto visualmente. Qualidade derivada da experiência prévia do 23 SUL com construções industrializadas.

O clima local é quente e úmido, de modo que os beirais avantajados da cobertura, criados para proteger a madeira da fachada do contato direto com a chuva, sombreiem a contento o edifício. Por outro lado, o vento o atravessa de ponta a ponta - um corredor interno que, dada a sua grande largura, é denominado “rua” pelos arquitetos permite a troca de ar entre os pavimentos - e o ambiente sob a cobertura funciona como um colchão de ar.

Tais medidas mencionam de certo modo as varandas que os arquitetos destacam da construção demolida, evocadas na sua memória como uma “casa de fazenda”. Imagem presente nas janelas de madeira da nova sede que, intercaladas nas fachadas aos painéis de policarbonato e às pequenas janelas basculantes de vidro, se contrapõem à aparência etérea do edifício, derivada da translucidez do policarbonato.

23 SUL
O 23 SUL é uma organização de arquitetos e urbanistas sediada em São Paulo que elabora soluções relacionadas ao espaço. Atuando nos mais diversos contextos e escalas, possui a sintonia e a afinidade entre arquitetos de perfis distintos como seu principal método de trabalho, tendo desenvolvido mais de 250 projetos com escopos múltiplos desde 2006. O projeto da Fundação Florestal Juréia-Itatins foi duplamente condecorado nas edições 2018 e 2019 do Prêmio IAB (edifício institucional e edifício em madeira, primeiro como projeto e depois como obra construída) e representou o Brasil na X BIAU, realizada no Paraguai em 2019. Na foto, em ordem: Tiago Oakley, Luís Pompeo, Luiz Ricardo Florence, Moreno Zaidan, Ivo Magaldi, Gaú Manzi.



Ficha Técnica

Sede Administrativa da Fundação Florestal na Estação Ecológica Juréia-Itatins
Local Peruíbe (SP)
Início do projeto 2016
Conclusão da obra 2019
Área construída 588,71 m²

Arquitetura 23 SUL - Gaú Manzi, Ivo Magaldi, Luís Pompeo, Luiz Ricardo Florence, Moreno Zaidan, Tiago Oakley, André Sant’anna da Silva, Leonardo Klis, Anelise Bertolini Guarnieri, João Miguel Silva, Lucas Girard

Estrutura de madeira Carpinteria
Estrutura de concreto GDPE
Instalações Ramoska & Castellani, Jovic Engenharia
Paisagismo Oficina 2 Mais
Perspectivas digitais Pedro Giunti (LOOS Digital)
Construção Sandin Engenharia
Fotos Pedro Kok

Fornecedores

Rewood (estrutura de madeira);
Arkos (fechamento de policarbonato).

Publicada originalmente em ARCOweb em 04 de Fevereiro de 2020
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora