A+P Arquitetos Associados e Adriano Mascarenhas: Cerimonial da Conceição da Praia, Salvador

Memória e celebração

Quem antes passava pela Rua da Conceição da Praia, no bairro do Comércio, e deparava com a fachada de casarões em péssimo estado de conservação, vizinhos à Basílica, já encontra uma nova situação. Com projeto de restauro e construção do A+P Arquitetos Associados e de Adriano Mascarenhas, os imóveis se transformaram em um novo espaço de recepção administrado pela Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia

Vizinhas à Basílica da Conceição da Praia, um importante marco religioso da capital baiana, as três edificações estavam em más condições e precisavam de uma requalificação – o que se deu por meio de uma intervenção do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) realizada como parte do PAC Cidades Históricas em Salvador.


Foto: Leonardo Finotti

Assumido pelo escritório soteropolitano há pouco renomeado A+P Arquitetos Associados e por Adriano Mascarenhas, o projeto de restauro e construção partiu de uma demanda concreta: a Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia contava anteriormente (depois foi desativado) com um espaço nos arredores onde ocorriam festas de casamento, fonte de importante receita para a igreja. Imaginou-se, então, converter as edificações mencionadas em um corpo único destinado a essa atividade – como contrapartida, a Irmandade se encarregaria da manutenção da basílica, também necessitada de reparos na fachada e na cobertura. “Considerando a localização, no bairro do Comércio e perto da prefeitura, imaginamos ampliar os usos e planejar um lugar para receber inclusive eventos institucionais e de classe, além de vernissages”, explica Alexandre Prisco, arquiteto e sócio do estúdio contratado.

O partido arquitetônico considerou os diferentes níveis de integridade das três edificações. “Resumidamente, a casa mais deteriorada - contígua à igreja - e o galpão na parte de trás do lote passaram a abrigar os ambientes mais amplos, como o grande salão, que se estende até o fundo do terreno”, diz Alexandre. As divisórias entre os imóveis foram mantidas, sendo que o casarão em melhor estado – o seguinte, na lateral - foi restaurado na fachada e na cobertura, passando a receber a circulação vertical (elevadores de carga e escadas). Após significativas modificações, restou dele apenas a “casca”. Na parte posterior, instalaram-se cozinhas e sanitários.

Do ponto de vista material, foi preciso adotar peças metálicas para dar estabilidade às paredes do imóvel em ruínas – a estrutura autoportante ajudou a firmar as alvenarias restantes e viabilizar espaços amplos, livres de pilares. O arcabouço de aço também contribuiu para apoiar a nova infraestrutura instalada e garantir a almejada flexibilidade de usos.

Internamente, a decisão projetual passou por remover pontualmente algumas poucas paredes e revelar a composição das remanescentes - descascadas, elas agora exibem ora alvenaria de pedras, ora a mistura com tijolos, típicas das diferentes épocas de construção. No casarão destinado às circulações, as paredes permaneceram rebocadas e pintadas. Recuperou-se ainda a volumetria original do telhado, completamente refeito. A cobertura, aliás, permitiu uma referência ao valor histórico da localidade: uma ampla claraboia deixa avistar a Cidade Alta e o antigo quintal (reforçando a separação tipológica entre as edificações).



Foto: Leonardo Finotti

Um desafio para os integrantes do A+P Arquitetos Associados foi resolver a fenestração do primeiro edifício (aquele em pior condição, dentro do qual fica o salão). Vale citar que o novo desenho das janelas buscou emular o contexto e a fachada desabada, com alguma liberdade. Nichos brancos na moldura das esquadrias passaram a revelar a espessura da parede externa e insinuar o plano anterior - as partes restantes da fachada antiga. A diferença fica bastante marcada na comparação com o segundo imóvel – aquele no qual a fachada foi restaurada e o interior, modificado para acomodar a circulação vertical -, que conserva a caixilharia original.

“Quebramos a cabeça para projetar soluções de infraestrutura que permitissem várias possibilidades de uso do Cerimonial. Nesse sentido, o elevador de carga se destaca. Outro recurso interessante foi aproveitar a estrutura metálica para instalar eletrocalhas e tubos de cenografia que sustentam cortinas, vedações e equipamentos de iluminação”, conclui Alexandre.

  

A+P Arquitetos Associados
Fundado em 2009, surgiu da associação dos arquitetos Alexandre Prisco e Nivaldo Andrade, formados pela FAUFBA em 2001 e 2002, respectivamente. Desde então, realiza projetos das mais variadas escalas, do urbano à edificação, públicos e privados, residenciais e institucionais – com destaque na área do Patrimônio Histórico. Em 2015, se somaram ao escritório os novos sócios: Chango Cordiviola, Edson Fernandes e Sérgio Ekerman. No final de 2019, o nome mudou de A&P Arquitetura e Urbanismo para A+P Arquitetos Associados.

 


Adriano Mascarenhas
O escritório Sotero Arquitetos, sediado em Salvador, foi fundado em 2008 por Adriano Mascarenhas (Universidade Federal da Bahia, 1999). O seu portfólio de trabalhos é bastante diversificado em escala e usos, com obras executadas em alguns estados brasileiros nas áreas de interiores, edificações e desenho urbano



Ficha Técnica

Cerimonial da Conceição da Praia
Local Salvador (BA)
Início do projeto 2015
Conclusão da obra 2019
Área total da intervenção 2.507 m2
Arquitetura A+P Arquitetos Associados - Alexandre Prisco e Nivaldo Andrade (autores do projeto arquitetônico e de restauração), Adriano Mascarenhas (coautor, pertence ao Sotero Arquitetos), Rodrigo Motta, Diego Serra, Lucas Paes, Augusto Motta (colaboradores), Clara Oliveira, Vanessa Orrico, Gabriela Lauria, Maiara Gaspar, Alessandra Pittau, Amanda Ornelas, Laertes Abreu, Vitor Teles (graduandos em arquitetura e urbanismo) 
Construção Marsou Engenharia
Estrutura Hélio Aragão
Estrutura metálica Enpro 
Instalações prediais Thales de Azevedo Filho Engenheiros Associados
Climatização Antônio Augostinho 
Acústica e sonorização Audium Acústica & Sonorização
Cenografia Renata Motta (consultoria)
Iluminação cênica João Batista (consultoria)
Fotos Leonardo Finotti

Publicada originalmente em ARCOweb em 14 de Janeiro de 2020
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora