A&P Arquitetura e Urbanismo: Casa do Carnaval, Salvador

Museu da folia

Um edifício foi restaurado e adaptado pelo A&P Arquitetura e Urbanismo para contar a história da maior festa popular da Bahia e abrigar atividades relacionadas à temática

A Casa do Carnaval teve o projeto de restauro de autoria de Alexandre Prisco e Nivaldo Andrade, do escritório A&P Arquitetura e Urbanismo, finalizado no segundo semestre de 2017. O museu, que já pode ser visitado por moradores e turistas desde o início de fevereiro, fica ao lado do Plano Inclinado Gonçalves, um dos ascensores urbanos construídos no século 19 para ligar as Cidades Alta e Baixa.

Embora não seja tombado, o edifício é parte do frontispício da capital baiana e compõe o Conjunto Arquitetônico, Paisagístico e Urbanístico do Centro Histórico, tombado em nível federal e incluído na Lista do Patrimônio Mundial da Unesco. Além disso, encontra-se na vizinhança imediata da Catedral Basílica de Salvador e de diversos edifícios coloniais tombados.

Abandonado após ter abrigado por anos um grupamento da Polícia Militar, o local inclui uma edificação eclética construída no início do século 20, com dois pavimentos mais subsolo, e um acréscimo que adota as linhas gerais da construção principal, realizado posteriormente entre esta e o Plano Inclinado Gonçalves.

“O projeto elaborado a partir de 2015 para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) se baseia no entendimento de que esta edificação é um palimpsesto, devendo ser respeitadas as estratificações históricas e cabendo ao arquiteto, na sua intervenção, adotar uma expressão contemporânea nos novos elementos arquitetônicos”, explica em memorial o escritório A&P Arquitetura e Urbanismo.

Os arquitetos optaram por conservar quase integralmente a edificação eclética principal, abrigando os espaços expositivos nos grandes salões do pavimento térreo e do primeiro pavimento - a curadoria e expografia assinadas por Gringo Cardia exploram recursos multimídia e interatividade - e os sanitários e espaços administrativos no subsolo.

Uma varanda contínua com estrutura em aço em balanço, circundando toda a fachada noroeste da edificação eclética (no pavimento térreo), e uma laje abrigando um café, em substituição à cobertura em quatro águas e telhas de fibrocimento, foram construídas para que os visitantes desfrutem, ao máximo, da vista para a Baía de Todos os Santos.

A intervenção aconteceu de forma mais radical no acréscimo, onde apenas as medianeiras e parte da laje do primeiro pavimento, transformada em mezanino, foram mantidas.

A ideia, segundo o escritório, era que o acréscimo virasse um amplo espaço articulador de todo o equipamento. Por isso, passou a abrigar uma ampla praça coberta e recebeu duas novas fachadas envidraçadas: uma mais estreita, na face sudeste, e que abriga o acesso do público; outra monumental, no lado noroeste, com vista privilegiada.



Ficha Técnica

Casa do Carnaval
Local Salvador, Bahia
Ano de início do projeto 2015
Ano de conclusão da obra
 2017
Área de intervenção 1.340 m2

Arquitetura A&P Arquitetura e Urbanismo - Alexandre Prisco e Nivaldo Andrade (autores); Lucas Paes, Rodrigo Motta, Augusto Motta e Diego Serra (equipe - arquitetos); Alessandra Pittau, Clara Araújo, Gabriela Lauria, Maiara Gaspar e Vanessa Orrico (equipe - estudantes).
Obra Mehlen Construções
Projeto de instalações prediais Thales de Azevedo Filho
Projeto estrutural Ricardo Melo
Curadoria e expografia Gringo Cardia
Fotos Carlos Galassi; Manuel Sá

Publicada originalmente em ARCOweb em 14 de Fevereiro de 2018
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora