BLOCO Arquitetos: Retrofit Edifício Omega, Brasília (DF)

Retrofit com sinergia entre arquitetura e engenharia

Convidados para modernizar uma edificação comercial de Brasília em termos de acessibilidade, instalações e segurança contra incêndio, os arquitetos do escritório BLOCO ampliaram a encomenda para o seu retrofit completo. A fim de reverter o aquecimento excessivo dos interiores eles fizeram implantar uma segunda fachada que, feita com chapa metálica perfurada, sombreia a construção. Ela é fixada em poucos pontos, a fim de manter a integridade da fachada existente


(Foto: Victor Machado)

Em 2018, após um período de desocupação do edifício comercial localizado na extremidade da Asa Norte, em Brasília, limítrofe a uma região de concentração de hospitais, de um lado, e residencial, do outro, os seus construtores e proprietários convidaram o escritório BLOCO Arquitetos para requalificar internamente a construção. Adaptar o edifício às normas de combate à incêndio e acessibilidade, bem como revisar as instalações elétricas e modernizar o sistema de ar condicionado eram o escopo inicial da contratação.

O prédio de quatro lajes corporativas (além de uma recuada, no topo) e dois subsolos está paralelo às ruas de frente e de fundo que lhe servem de acesso. O embasamento e a torre se tocam no térreo, mas resta livre uma área externa aberta por onde ocorre a entrada de pedestres.

As duas vias que delimitam o lote estão em cotas distintas, de modo que, atrás, aflore o subsolo e na frente - face voltada para a avenida W3, com maior fluxo de pedestres e veículos e arborização vistosa - o acesso seja nivelado. É relativamente restrito o campo de possibilidades para a criação de um espaço híbrido no edifício, semi- público, mas os arquitetos abriram caminho para melhorar também este aspecto. Parte fisicamente - foram removidas as grades que, de modo improvisado, isolavam o vazio do fosso do subsolo, instalando-se no seu lugar uma chapa metálica perfurada, caminhável - e parte visualmente.


(Foto: Victor Machado)

Ocorre que a encomenda inicial do projeto foi triplicada durante o trabalho, adicionando-se dois contratos complementares: um para a melhoria do conforto térmico da edificação e o outro para a requalificação do térreo.

As duas fachadas longitudinais são envidraçadas - caixilhos basculantes de vidro - e à transparência do material os locatários foram contrapondo películas de proteção solar ao longo dos anos. Para reverter a situação - crítica na fachada oeste, aquela voltada para a W3 -, mas mantendo intactas as janelas por causa do seu bom estado de conservação, os arquitetos projetaram uma fachada externa, de sombreamento daquela existente. Três condicionantes principais determinaram a sua materialidade - leveza, facilidade de manutenção e não obstrução da vista -, especificando-se o uso de uma chapa metálica ondulada perfurada, pintada de preto. A cor, explica Matheus Seco, um dos sócios do escritório BLOCO, minimiza a reflexão de luz na borda dos furos.

A fixação das chapas nas fachadas, contudo, demandou sinergia entre arquitetura e engenharia. As janelas do prédio recobrem externamente as vigas de borda e, embora possível, não era conveniente perfurar os caixilhos para a inserção dos novos suportes a fim de evitar-se problemas posteriores de infiltração. O caminho apontado pelo consultor, então, foi compensar a consequente pouca densidade de pontos de apoio (concentrados no topo e na base do edifício, aonde as vigas são aparentes) com a inserção de treliças metálicas nos cantos do prédio. Planas, elas estão posicionadas em ângulo de 45º, de modo a determinar o afastamento entre a tela metálica e a fachada de vidro. Foi utilizado o recurso de escaneamento 3D da construção para orientar com precisão o desenho da estrutura auxiliar da pele externa que, assim, acompanha os desníveis em planta e corte das vigas. Todo o conjunto está ainda vinculado aos robustos pilares da edificação, que se interligam em um desenho contínuo com o pórtico da cobertura. O projeto arquitetônico original, de 1978, é de autoria de Geraldo Estrela e Romulo de Marchi, dupla, informa Matheus Seco (um dos sócios do BLOCO), que concebeu grande número dos prédios do entorno.

Internamente, além do atendimento das demandas técnicas e normativas do projeto, houve ainda a remoção de forros e pisos - o primeiro para aumentar o pé-direito e o segundo para facilitar a logística das obras dos futuros locatários (que poderão ocupar de meia laje ao prédio inteiro) -, e a criação de um volume único que reúne os ambientes do núcleo da edificação. No embasamento, então, a mesma tela metálica de fachada passou a recobrir externamente jardineira que delimita os domínios interno e externo. Dobra em L, então, ela transforma-se em elemento de piso, alargando a calçada.

Uma das surpresas da obra impactaram positivamente o projeto. Descoberto durante a sua manutenção, o piso de mosaico português do térreo voltou a se contrapor, com suas curvas na cor branca, à austeridade da construção.


(Foto: Victor Machado)


  
BLOCO Arquitetos

O escritório fundado em Brasília pelos arquitetos Daniel Mangabeira (Universidade de Brasília - UnB, 1999), Henrique Coutinho (UnB, 1997) e Matheus Seco (UnB, 1999). A equipe produz projetos de diferentes escalas e programas, desde casas e edifícios a interiores e instalações temporárias.



Ficha Técnica

Retrofit Edifício Omega

Local Brasília (DF)
Início do projeto 2018
Conclusão da obra 2019
Área de intervenção 10.000 m²
Arquitetura Geraldo Estrela e Romulo de Marchi (projeto original, 1978); Bloco Arquitetos (retrofit) - Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco (autores); Victor Machado (coautor)

Iluminação Bloco Arquitetos e Maura Garzon
Coordenação de obra Elo Engenharia e Frater Engenharia
Estrutura de fachadas Metier Soluções e Stermaan (torre); Layout Serralheria (embasamento)
Instalações Benfatto Projetos 
Cliente, construtores Espaço Y Engenharia
Fotos Victor Machado, Marina Lira

Fornecedores

Ferragut Gallo Marcenaria (marcenaria)
Hunter Douglas, Stermaan (brises de fa-chada - torre)
Metier Soluções, Stermaan (estrutura de fachada)
Layout Serralheria (serralheria do embasamento, corrimãos e guarda-corpo)
Pisobrás (granilite)
Maura Garzon Light Design (iluminação)

Publicada originalmente em ARCOweb em 26 de Fevereiro de 2020
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora