Casa em Destaque: Pessoa Arquitetos e Base Urbana, São Paulo

Fluidez e elegância em condomínio de casas

É dos escritórios paulistanos Pessoa Arquitetos e Base Urbana o projeto deste conjunto de residências localizado no Alto da Boa Vista, na zona sul de São Paulo. Por se tratar de trabalho menos comprometido com as regras do mercado imobiliário, os autores tiveram mais liberdade para o desenho e a implantação das edificações

Foi a experiência acumulada em projetos de condomínios residenciais pelos escritórios Pessoa Arquitetos e Base Urbana que deu segurança ao proprietário da Construtora Natali para indicá-los para projetar o Vila di Mantova, elegante conjunto de moradias de sóbria e correta arquitetura localizado no Alto da Boa Vista, na zona sul da capital paulista - o nome oficial da região onde fica o condomínio, nas proximidades da avenida Professor Vicente Rao, é Jardim Cordeiro.

A Natali construíra alguns dos projetos dos escritórios e fora consultada para participar de uma nova empreitada. Seu proprietário considerou que Jorge Pessoa (do Pessoa Arquitetos), Catherine Otondo e Maria Grinover (do Base Urbana) eram capazes e qualificados para se incumbirem do projeto.

Diferente, porém, de alguns projetos anteriores, cujas diretrizes respondiam às regras (ainda que informais) do mercado imobiliário - onde, em geral, o terreno é ocupado com o máximo de unidades de forma a maximizar lucros -, a contratação para o Vila di Mantova mostrou-se menos rígida, sob esse aspecto. A intenção do proprietário - que não era o incorporador clássico e adquiriu o terreno onde antes existia um espaço de lazer de uma família paulistana – era construir residências que pudessem ser também alugadas e ocupadas por famílias de executivos que trabalham nas proximidades.

Mais livres, portanto, das amarras do mercado, os autores do projeto puderam ocupar o terreno (que totaliza pouco mais de 3 mil metros quadrados de área) de forma mais fluida, deixando respiros e dispondo as residências (cinco no total) mais próximas de seu perímetro. Preservando, porém, espaço para quintais/jardins e piscinas. Aproveitaram o centro do lote onde já existiam algumas árvores para criar uma espécie de cul-de-sac, elemento que é um dos itens que ajuda a qualificar a intervenção.

Pessoa conta que imaginava que o espaço viesse ser também usado em comemorações festivas. Embora não sejam idênticas, as residências têm plantas e volumetrias semelhantes e contam com três pavimentos – garagens ficam na cota mais baixa (considerado subsolo), ocupando cerca de 2/3 desse nível. No térreo, estão os espaços sociais e de serviços e, no superior, ficam as quatro suítes.

A disposição dos ambientes procura aproveitar a insolação mais favorável. Estrutura de concreto e fechamento de alvenaria deram formas as moradias, resultando numa volumetria contida e elegante onde alternam-se cheios e vazios, com tons brancos e amarelos que se contrapõem.

Se a arquitetura proposta pelos escritórios para o conjunto não é a da excepcionalidade – e a intenção dos autores não era essa -, a abordagem e o resultado constituem uma saudável exceção e um exemplo que poderia ser imitado pelo mercado imobiliário.



Ficha Técnica

Condomínio Vila Mantova
Local São Paulo
Início do projeto 2011
Conclusão da obra 2015
Área do terreno 3013,62 m2
Área construída 3021,25 m2

Arquitetura Pessoa Arquitetos; Base Urbana
Luminotécnica Pessoa Arquitetos
Estrutura e fundações Ney Constantini Engenharia de Projetos
Elétrica e hidráulica Engeplot Engenharia e Serviços
Construção Construtora Natali
Fotos Pedro Vannucchi

Fornecedores

JR Santos (serralheria)
Yziplas (esquadrias em PVC)
Portobello (revestimentos)
Blocasa (piso drenante)

Publicada originalmente em ARCOweb em 23 de Outubro de 2017
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora