Lineastudio Arquiteturas: Sede Lineastudio Arquiteturas, Santa Maria, RS

Ortogonal e minimalista

É no Cerrito, bairro da cidade de Santa Maria (RS), em meio ao entorno de casas unifamiliares, onde a sede do escritório Lineastudio Arquiteturas foi implantada. Os traços bem marcados da volumetria se contrapõem ao orgânico da exuberante natureza local, mas a harmonia entre cores, materiais e vegetação subsiste

Um foco de cobertura arbórea na escala da cidade. Quase todas as bordas do bairro Cerrito - que à propósito nasceu não há muito e recebeu o nome do histórico morro homônimo ali situado - são ladeadas pela mancha urbana de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. O cenário pitoresco pareceu perfeitamente adequado para implantação de um escritório que viria a ser a casa conceito do Lineastudio Arquiteturas.

“O escritório atua há 16 anos em Santa Maria, cidade natal do sócio-fundador e da maioria dos atuais sócios. Nossa sede conceito foi construída pensando em retribuir para a cidade as oportunidades por ela proporcionadas e assim contribuir positivamente com a paisagem urbana. A partir da demanda crescente e atendimento a clientes pelo Rio Grande do Sul, além de Santa Catarina e Paraná, posteriormente começamos o planejamento da expansão para Porto Alegre. Buscamos que as sedes dialogassem entre si, uma vez que materiais, acabamentos e linguagem permaneceram os mesmos (...). Ainda temos planos de abrir outras unidades - no momento a cidade de Passo Fundo deve receber uma nova sede, em razão do número de clientes e pela posição geográfica”, conta Verônica Viero, engenheira agrônoma do estúdio.

Em uma das poucas vias do bairro, onde já se concentra uma pequena massa de construções - basicamente residências unifamiliares -, procurou-se minimizar o impacto para os vizinhos com a nova implantação. Então, para escolher a melhor maneira de implantação no lote, a equipe considerou tanto topografia quanto vegetação - destaque para as determinantes araucárias que, hoje, estão na lateral da edificação -, tendo sempre como ideia principal mimetizar a construção às condições naturais do terreno: “Foi uma orientação constante de projeto o respeito à identidade do lote e a integração entre paisagem externa e áreas internas”, explicou Viero.

Devido ao caimento natural de parte desse lote, a estratégia foi elevar o pavimento térreo sobre pilotis, aproveitando o desnível para ocupação com subsolo aberto. Mesmo assim, foi realizado um pequeno corte no terreno para viabilizar as garagens e realizar o aterro para área de manobra, fazendo com que o acesso a partir do subsolo fosse o único ponto em que a edificação tocaria o solo: “Existe contenção no início da área de garagem, no subsolo e também na região do depósito semienterrado”, contou Viero. Criar, portanto, uma caixa monolítica baixa e horizontalizada foi a saída para respeito ao entorno e disfarce na paisagem.

“Quisemos expressar através dessa edificação os valores empregados em nossos projetos: respeito às características do lote e do entorno, racionalidade estrutural, linguagem contemporânea, uso de materiais autênticos - como concreto aparente, compensado naval, madeira, estruturas metálicas -, e relação entre interior e exterior”, contou Verônica Viero.

A entrada de pedestres - posicionada em uma das menores faces do paralelepípedo, que se alinha perpendicularmente às maiores laterais do terreno - se dá pela rampa levemente em aclive, onde o acesso se abre para um fechamento semipermeável em frente, permitindo alcance visual para o eixo estruturador da planta.

A ortogonalidade, portanto, existe também na distribuição dos fluxos internos bem demarcados pelo corredor central que subdivide a planta em duas porções, esquerda e direita, e compreende o programa formado por duas salas de espera, salas de reuniões, criação, produção, galeria de arte, espaço gourmet e toaletes. O caminho, por exemplo, que interliga espera e sala de reuniões, passa pelo tal eixo principal cercado por jardins e criação. O final é o mirante que dá para a mata nativa: “O intuito do percurso é aproximar o cliente da equipe e do processo que está por trás de cada projeto”, afirmou a equipe Lineastudio em memorial.

A circulação vertical, concentrada em um único ponto, também racionaliza o fluxo para o tal subsolo aberto, usado como garagem e espaço para pequenas recepções na área gourmet. A estrutura é em concreto, com pilares e lajes maciças.

A influência modernista e a forte presença do concreto aparente se complementam com o uso do vidro - principalmente nos fechamentos externos das salas e jardins -, recurso que quebra a monotonia e abre os olhos para a vegetação externa, permitindo inclusive otimização da iluminação controlada pelos brises emoldurados nas fachadas e persianas. A escolha para o posicionamento das aberturas também foi proposital, uma vez que para melhor aproveitamento de ventilação, essas permaneceram opostas umas às outras, fazendo com que a ventilação cruzada exercesse o papel de resfriamento do conjunto.



Ficha Técnica

Sede Lineastudio Arquiteturas
Local Santa Maria (RS)
Área construída 280 m²
Arquitetura Lineastudio Arquiteturas - Zé Barbosa, Luara Mayer, Ronald Jung, Roberta Noal, Lísian Ceolin e Verônica Viero (autores); Giana Sperotto, Paola Borges, Raphael Ribeiro, Luzia Olivier Brand, Gabriela Brambatti e Isadora Daltrozo (equipe)
Engenheira agrônoma Verônica Viero
Fotos Cristiano Bauce

Publicada originalmente em ARCOweb em 06 de Agosto de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora