Lins Arquitetos Associados: Academia Escola Universidade Unileão, Juazeiro do Norte (CE)

Pele sobre pele

“O clima é bem quente e de pluviosidade média durante o ano. Essa é uma das maiores condicionantes para a produção de arquitetura por aqui”, explica o arquiteto George Lins sobre as características climáticas de Juazeiro do Norte, no Ceará. Assim sendo, a academia escola - já como quarta encomenda concluída pela equipe para o Centro Universitário Unileão, também juazeirense - se valeu do arranjo entre recursos construtivos e naturais em série que, combinados, proporcionam conforto térmico para interior e arredores do edifício

Os termômetros já atingiram 37 °C em Juazeiro do Norte, município localizado ao sul do estado do Ceará. Dá para entender o porquê de a maior preocupação de quem projeta para a cidade consistir na tomada de medidas que tragam o melhor desempenho térmico possível para as construções - pelo menos é assim que a equipe do Lins Arquitetos Associados costuma desenvolver seus trabalhos.

Para este caso, além de elevar a qualidade arquitetônica dos edifícios, as medidas em busca de conforto ambiental foram diferenciais para que se iniciasse, em 2013, a parceria entre o escritório juazeirense e o Centro Universitário Unileão. São, ao todo, quatro obras já edificadas no campus de Juazeiro do Norte: Pavilhões Educacionais (2014), Núcleo de Prática Jurídica (2016), Juizado Cível e Criminal (2016) e, por último a Academia Escola (2018) - vale citar que, atualmente, o campus conta com mais dois projetos do mesmo escritório em finalização, o Centro Esportivo e o Hospital Veterinário.

Como “cada curso tem o seu laboratório, também aberto ao público”, a equipe precisava atender aos extensos programas, articular os edifícios entre si e viabilizar os custos das obras. Por isso, a ideia foi sempre racionalizar as implantações, de modo que aberturas e fechamentos se guiassem pelo caminho do sol e que os materiais, em sua maioria regionais, colaborassem com a mão de obra local.

Com exceção dos Pavilhões Educacionais (a oeste), o Núcleo de Prática Jurídica, Juizado Cível e Criminal e a Academia Escola estão na porção norte do terreno, lado a lado, e dispostos perpendicularmente à direção leste-oeste. Era viável, portanto, que as superfícies opacas fossem em maior proporção em tais orientações (com poucas aberturas) e, a fim de evitar o equívoco de grandes empenas, adicionar elementos que interrompessem qualquer possibilidade de monotonia. Daí a ideia do elemento vazado como aliado ao dinamismo e à ventilação cruzada.


(Foto: Joana França)

No caso da Academia Escola, a própria estruturação da planta ampliou as possibilidades de explorar a composição entre cheios e vazios. Até o final do projeto preliminar, os blocos programáticos se interconectavam por arestas de volumes hexagonais que, somente depois, tornaram-se circulares. A mudança plástica solicitou algumas adaptações de layout interno, mas enriqueceu em vantagens funcionais. O recurso foi dotá-la de “peles” sucessivas que filtrassem luz e, portanto, diminuíssem a temperatura interna. É por isso que as atividades acontecem no núcleo de cada círculo, rodeados pelos corredores de circulação e canteiros de vegetação internos que, por sua vez, estão envoltos por uma casca de tijolos cerâmicos crus produzidos pelas olarias da cidade. Em complemento, o projeto de paisagismo especificou árvores de copas robustas (tradicionais Ipês, nas fotos ainda imaturos), que também favorecem o microclima externo.

Na cobertura, telhas termoacústicas se apoiam sobre tesouras metálicas que vencem o vão de aproximadamente nove metros, sem necessidade de apoio central. Os pilares de concreto aparente - com exceção dos internos pintados de preto para efeito visual -, bem como as coberturas, que inclusive deixam à mostra as formas do processo de construção, favoreceram a atuação da mão de obra local.

Além do forte conceito bioclimático, que humaniza o projeto, a atenção da equipe foi ainda para estabelecer bom contato com o entorno "diferentemente do que se observa em universidades do mesmo município", assim como afirma George Lins. Ainda mais por serem de visitação livre, os edifícios estão em localização estratégica, com acesso direto para a rua, de onde são observados pelo cercamento em gradis.

  

Lins Arquitetos Associados
Fundado em 2011 pela família Lins, na cidade de Juazeiro do Norte, o escritório é marcado pela busca constante ao experimentalismo, sem rigor de escalas. Nas fotos, os irmãos Cintia Lins - graduada pela Universidade de Fortaleza (2007) e especialista em docência pela Faculdade Juazeiro do Norte (2017) - e George Lins, formado pela Universidade Federal do Ceará (2006) e especializado em Tecnologia do Ambiente Construído pelo Instituto Centro de Ensino Tecnológico (2010).



Ficha Técnica

Academia Escola - Centro Universitário Unileão

Local Juazeiro do Norte (CE)
Início do projeto 2017 
Conclusão da obra 2018
Área do terreno 2.400 m² 
Área construída 964 m² 

Arquitetura Lins Arquitetos Associados - Cintia Lins, George Lins e Deborah Lins (autores); Sarah Bastos , Camila Bezerra e José Otávio Braga (colaboradores); Gabriela Brasileiro, Camila Tavares, Hanna dos Santos, Samuel Melo, Alice Teles e Paula Thiers (estagiários)

Construtora Ampla Engenharia
Fotógrafa Joana França 

Fornecedores

Isoeste (telha termo acústica);
Coper Vidros (esquadrias de vidro);
Bendermix (concreto);
Olaria Cemonte (tijolo cerâmico).

Publicada originalmente em ARCOweb em 24 de Janeiro de 2020
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora