Pampulha é declarada Patrimônio Mundial da Humanidade

Fruto da colaboração entre Niemeyer, Burle Marx e Cândido Portinari, conjunto arquitetônico recebe título da Unesco


A Igreja São Francisco de Assis, na lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte (Foto: Tuca Vieira)

O Brasil conquistou mais um título importante neste domingo (17), em Istambul, na Turquia. A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) acaba de tornar o Conjunto Moderno da Pampulha, em Belo Horizonte, em Patrimônio Mundial da Humanidade.

Projetada na década de 1940 pelo arquiteto Oscar Niemeyer, durante o governo do então prefeito Juscelino Kubitschek, a construção tinha como objetivo se tornar um ponto de lazer e turismo da capital mineira. Além do traçado sinuoso característico de Niemeyer, a elaboração da obra contou com a participação do paisagista Roberto Burle Marx e do pintor Cândido Portinari, autor do painel externo de azulejos da Igreja de São Francisco de Assis. O local ainda abriga esculturas de artistas renomados como Alfredo Ceschiatti e José Alves Pedrosa.

“O Brasil tem muito a comemorar. O Conjunto da Pampulha está na origem da produção arquitetônica e urbanística brasileira dentro do Movimento Moderno, e deve ser um bem compartilhado por toda a humanidade”, disse Kátia Bogéa, presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Ao integrar a Pampulha à Lista do Patrimônio Mundial, a Unesco estará reconhecendo o conjunto como uma obra-prima do gênio criativo humano”, acrescenta.

Para receber o título, a Pampulha precisou se comprometer com um novo plano de gestão entre os governos federal, estadual e municipal para garantir o bom estado de conservação de forma contínua e que, agora, precisará ser seguido e que será monitorado pela Unesco.

Compõem o conjunto arquitetônico a Lagoa da Pampulha e sua orla, os jardins de Burle Marx, a Igreja de São Francisco de Assis, o antigo Cassino (atual Museu de Arte da Pampulha), a Casa do Baile, o Iate Golfe Clube (atual Iate Tênis Clube) e a praça Dalva Simão (antiga Santa Rosa).

“A Unesco, ao reconhecer o valor universal excepcional da Pampulha, considerou o conjunto como símbolo de uma arquitetura moderna distante da rigidez do construtivismo e adaptada de forma orgânica às tradições locais e às condicionantes ambientais brasileiras”, afirmou Andrey Schlee, diretor de patrimônio material do Iphan, que considera o título essencial para aumentar o turismo na região.

A Pampulha se tornou o 20º sítio brasileiro na lista de patrimônios mundiais (incluindo culturais e naturais) da Unesco, que se junta a locais como as paisagens do Rio de Janeiro, o Plano Piloto de Brasília e o centro histórico de Olinda. A lista completa pode ser conferida no site da instituição.

Confira abaixo o vídeo da candidatura do Conjunto Pampulha a Patrimônio Mundial da Humanidade:

www.portal.iphan.gov.br

Publicada originalmente em ARCOweb em 18 de Julho de 2016
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora