Curtas-metragens mostram São Paulo pós-apocalíptica

Fragmento de "São Paulo, Parte 1", filme de Mark Lewis (Divulgação)

Localizado no bairro do Bom Retiro, o centro cultural Casa do Povo apresenta "Cidade", exposição do artista Mark Lewis, que reúne dois filmes inéditos realizados por ele em São Paulo. Em "São Paulo, Parte 1" e "São Paulo, Parte 2", Mark Lewis revisita o Art Palácio, localizado no largo do Paissandu, e o Teatro de Arte Israelita Brasileiro, o TAIB, situado no subsolo da própria Casa do Povo. Marcos da arquitetura moderna paulistana, as duas salas – um cinema desenhado por Rino Levi nos anos 1930 e um teatro projetado por Jorge Wilheim nos anos 1950, respectivamente – encontram-se arruinadas hoje em dia. Com sua obra, o artista procurou reconstituir esses espaços degradados por meio colagens produzidas a partir de arquivos históricos. Em oposição, também criou cenas de uma São Paulo devastada. “Enquanto as ruas vazias e as imagens congeladas formam um cenário pós-apocalíptico, as duas salas, outrora dedicadas à ilusão teatral e cinematográfica, voltam a esbanjar suas impecáveis feições modernistas”, aponta Benjamin Seroussi, curador do projeto e diretor da Casa do Povo.

Nascido no Canadá e radicado na Inglaterra, Mark Lewis revela-se familiarizado com São Paulo, suas ruas e sua arquitetura. Afinal, o artista já realizou oito filmes na cidade - cada um deles traz no título o nome do local onde foi feito o registro, a exemplo de "Escada rolante de Pinheiros", "Galeria do Rock" ou "Urubus do Edifício Martinelli" (comissionados pela 31ª Bienal de São Paulo, em 2014). Mais do que comentários sobre a cidade em si, são observações agudas e reflexões silenciosas nas quais o espaço construído e suas diversas camadas surgem como tela de fundo para gestos cotidianos, verdadeiras coreografias urbanas.

A câmera de Mark circula livre e lentamente, sem som, para além das possibilidades do corpo, atravessando vãos e voando entre edifícios. Isso resulta em planos-sequência no limiar da fotografia documental e do cinema. Em obras recentes como "Lounge", de 2017, e "Bauhaus", de 2019, o cineasta interfere cada vez mais no objeto filmado mesmo que, muitas vezes, de forma imperceptível - o mesmo processo caracteriza os dois filmes inéditos, comissionados pela Casa do Povo. Fotografando, cortando, espelhando e recompondo cenários, Mark Lewis se envolve em experimentos de edição sem abrir mão do plano-sequência, respeitando o tempo das coisas para lançar uma luz crítica sobre um presente desmoronado e assim revelar outras histórias possíveis.

Fonte: Casa do Povo


Cidade, por Mark Lewis
Local Casa do Povo
Endereço Rua Três Rios, 252, Bom Retiro, São Paulo, SP. Metrô Tiradentes, linha 1 azul
Visitação de 06 a 20 de abril de 2019
Abertura de terça a sábado, das 14h às 19h. Horário estendido nas quintas-feiras até 21h. Entrada gratuita

Mais infomações no site

Publicada originalmente em ARCOweb em 03 de Abril de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora