12ª BIA: programação começa no dia 10 de setembro

Realizada pelo IAB-SP, a 12a edição da Bienal Internacional de Arquitetura acontecerá no Sesc 24 de Maio e no Centro Cultural São Paulo. A abertura está prevista para 10 de setembro de 2019

Do Sesc 24 de Maio constará esta montagem feita pelo francês Bruther sobre foto de Nelson Kon.

Sob o título "Todo dia", a proposta curatorial da 12ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo propõe destacar o protagonismo do cotidiano – a dimensão mais trivial da realidade – na arquitetura e no urbanismo no século XXI. “O poder discreto do cotidiano está em sua capacidade de traduzir o modo como habitamos, utilizamos recursos naturais, e mantemos o espaço, em práticas comuns, que fazem do projeto algo relevante e uma preocupação compartilhada”, afirmam os curadores desta edição, Charlotte Malterre-Barthes, Ciro Miguel e Vanessa Grossman.

A 12ª BIA consiste em duas exposições que ocupam dois edifícios-manifesto do cotidiano de São Paulo: "Todo dia", no Sesc 24 de Maio (de 2017, autoria de Paulo Mendes da Rocha e MMBB), de 10 a 29 de setembro de 2019, e "Arquiteturas do cotidiano", no Centro Cultural São Paulo (de 1982, autoria de Eurico Prado Lopes e Luiz Telles), de 13 de setembro a 8 de dezembro de 2019.

"A compreensão das cidades contemporâneas a partir das pessoas, dos seus diferentes cotidianos, histórias, revela um conjunto de singularidades e reincidências, entre elas desigualdades e violências que imprimem um senso de urgência, demandam ações concretas, em diferentes escalas, para enfrentar o desafio primordial da vida em sociedade: a dimensão civilizatória. Refletir sobre isso é a missão desta edição da Bienal, primeira definida a partir de um concurso internacional de curadoria", explica Fernando Túlio Salva Rocha Franco, presidente do IAB-SP.

A 12ª BIA está estruturada em torno de três eixos temáticos: "Relatos do cotidiano" examina as inúmeras maneiras pelas quais arquitetos e outros profissionais relacionados reinterpretam o dia-a-dia, relatando histórias reais ou fictícias ligadas à produção do espaço, que vão de sutilezas poéticas do todo dia à revelação das violências, crises e desigualdades que atingem, diferentemente, os sujeitos em seus cotidianos; "Materiais do dia-a-dia" aborda a crescente conscientização e o engajamento crítico de arquitetos, paisagistas e urbanistas em relação a diferentes processos envolvendo recursos cotidianos, tanto em contextos urbanos quanto rurais, na era do Antropoceno; e "Manutenções diárias", que explora a manutenção da arquitetura e da cidade, assunto que tem ganhado atenção sobretudo nos debates teóricos e na pesquisa tecnológica atual no mundo, mas que ainda é incorporado de forma insuficiente à produção arquitetônica.

Para a exposição "Todo dia" - no Sesc 24 de Maio -, pensou-se em um formato inédito. Dez equipes, algumas das quais interdisciplinares, foram convidadas para produzir uma rede de dispositivos (intervenções) distribuídos no espaço deste edifício-manifesto, cada um acionando uma programação específica (debates, palestras etc.). Segundo os curadores, como uma cidade dentro de uma cidade, o edifício não só ampara mas amplifica a imprevisibilidade do cotidiano do centro de São Paulo. “Diariamente, cerca de 10.000 pessoas sobem e descem suas rampas para comer, brincar, dançar, passear, nadar, correr, jogar, conversar, usar o banheiro, ir ao dentista, ler, escrever, aprender, ensinar, criar, tomar sol ou simplesmente dormir. Aqui, o todo dia é trivial, palpável e envolvente”, completam.

Da esquina do Sesc 24 de Maio ao banheiro, os dez dispositivos localizam-se em outros espaços comuns do edifício incluindo o térreo, rampas, escada de incêndio, área de convivência, e piscina. Fazem parte das equipes Adamo-Faiden (Argentina) + Vão (São Paulo), Andrés Jaque/ Office for Political Innovation (Espanha / Estados Unidos), Andrés Sandoval (São Paulo), Bêka e Lemoine (Itália/França), Bruther (França), Concreto Rosa (Rio de Janeiro), Edelaar Mosayebi Inderbitzin Architekten (Suíça), Universum Carrousel Journey - Studio Jan de Vylder (Bélgica), Wellington Cançado (Belo Horizonte) e Wolff Architects + Hélio Menezes (África do Sul / Salvador).

Para informações sobre os dispositivos e biografias dos arquitetos clique aqui. Uma programação complementar de conferências, debates e workshops relacionados com os temas abordados pelos dispositivos, seguindo os três eixos curatoriais, pode ser conferida aqui.

Já "Arquiteturas do cotidiano" reúne projetos bem como experimentos em arquitetura, urbanismo e paisagismo de diferentes escopos e escalas que tentam re-imaginar como o cotidiano molda nosso mundo. Uma Chamada Aberta foi lançada para esta exposição. Um júri internacional avaliou 710 inscrições enviadas de 52 cidades do Brasil e 101 cidades de 30 países. Foram selecionados 74 trabalhos. Para uma descrição detalhada de cada um, clique aqui

Durantes os três meses da Bienal será também realizado no CCSP um programa de debates, conferências, workshops e publicações. A programação de setembro pode ser conferida aqui.

Exposição Sesc 24 de Maio - Todo dia
Local Sesc 24 de maio
Endereço Rua 24 de Maio, 109, Centro, São Paulo
Abertura 10 de setembro, às 11h; até 29 de setembro de 2019
Endereço Rua 24 de Maio, 109, Centro, São Paulo
Funcionamento terças a sábados, das 9h às 21h; domingos e feriados, das 9h às 18h
Mais informações no portal sescsp.org.br/24demaio
Tel (11) 3350-6300

Exposição Centro Cultural São Paulo – CCSP - Arquiteturas do cotidiano
Local Centro Centro Cultural São Paulo
Endereço Rua Vergueiro, 1000 - Paraíso, São Paulo - SP
Abertura 13 de setembro, às 16h; até 8 de dezembro de 2019
Funcionamento quarta a domingo, das 10h às 18h; terça das 10h às 20h
Tel (11) 3397-4002

Publicada originalmente em ARCOweb em 29 de Agosto de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora