Caleidoscópio brasileiro recebe menção honrosa na Coreia do Sul

Concurso em país asiático selecionou projeto para a nova sede da Secretaria Metropolitana de Educação de Seul. Equipe do Brasil foi contemplada com menção na competição

Imagem: Divulgação / Gesto Arquitetura

O escritório Gesto Arquitetura, de São Paulo, que é liderado pelos arquitetos Newton Massafumi Iamato e Tânia Regina Parma, foi contemplado com menção honrosa em um concurso internacional de arquitetura realizado no primeiro semestre desse ano na Coreia do Sul – o resultado da competição foi divulgado em meados de julho. Massa (como quase todos acostumaram-se a chamar o arquiteto) Tânia (sua mulher) e a equipe de São Paulo juntaram-se a Yuri Parma Yamato (filho do casal que trabalha como arquiteto na Austrália) e a uma equipe sul-coreana (Jeong Bok Hwang, Jung Hun Nam e Ryan Kim) para desenvolver proposta para as novas instalações da Secretaria Metropolitana de Educação de Seul.

A edificação será uma espécie de hub educacional e deve ser construída próximo do Monte Nanshan e ao Parque Yongsan, em Seul – o terreno fica em frente a área que foi ocupada pelas tropas militares norte-americanas que tem bases naquele país desde a guerra que dividiu a Coreia em dois países – para onde são esperadas grandes transformações urbanas nos próximos anos. O conjunto é destinado a um departamento do governo do país asiático que tem a responsabilidade de propor e desenvolver políticas educacionais inovadoras. Cabe destacar que, mais que tudo, foi o investimento em educação de qualidade que contribuiu para que a Coreia do Sul se tornasse uma potência econômica nas últimas décadas.

O projeto inscrito pelo escritório Lee Won Suk, que tem sede naquele país, foi o vencedor da competição, que teve ainda outros quatro projetos premiados. A menção honrosa ao escritório brasileiro foi atribuída ao trabalho que os autores chamaram de Espaço Caleidoscópio. O projeto possui uma base horizontalizada sobre a qual erguem-se uma série de volumes envidraçados (mais estreitos na parte inferior e que vão se alargando em direção ao topo) que são protegidos por brises de madeira. O nome Caleidoscópio deve-se à flexibilidade de ocupação proporcionada por esses espaços, argumenta Massa. O projeto estrutural é do engenheiro Yopanan Conrado Rebello.



Publicada originalmente em ARCOweb em 29 de Agosto de 2018
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora