Divulgados os ganhadores da XI BIAU

No último dia 7 de outubro, foram anunciadas as obras ganhadoras da XI Bienal Ibero-americana de Arquitetura e Urbanismo, realizada na capital paraguaia entre 6 e 11 de outubro de 2019

Os vencedores reunidos durante a cerimônia de premiação da XI BIAU (Foto: Divulgação)

A inauguração da Bienal, cujo tema é "aĩ paragua y. Madre de Ciudades.", e a cerimônia de entrega de prêmios ocorreram no Teatro Municipal de Assunção. Participaram do evento Francisco Javier Martín Ramiro, director general de Arquitectura, Vivienda y Suelo de Ministerio de Fomento; Luis Comerón, Presidente del Consejo Superior de Colegios de Arquitectos de España (CSCAE) y Carlos Jiménez, Presidente del Colegio de Arquitectos del Paraguay.

A seção Panorama de Obras premiou 17 projetos realizados nos seguintes países: Argentina, Brasil, Chile, Equador, Espanha, México, Paraguai, Peru, Portugal, Uruguai e Venezuela, e concedeu dois prêmios especiais. Foram selecionados em meio às 997 propostas apresentadas após a convocatória. Entre as obras premiadas, predominam espaços coletivos: equipamentos públicos, centros culturais, educacionais ou recreativos. Embora também tenham sido destacadas residências, bem como reabilitações. Os ganhadores foram:

* Refuncionalización Ex-Molino Marconetti. Liceo Municipal Antonio Fuentes del Arco. Subsecretaría De Obras De Arquitectura De La Ciudad De Santa Fe. Arq. Marcelo Pascualón /Arq. Lucas Condal /Arq. Martín González /Arq. Luciana Viñuela /Arq. Andrés Francesconi /Arq. Daniel Imhoff /Arq. Javier Barducco /Arq. Germán Müller /Arq. Javier Espindola /Arq. Carlos Di Napoli /Arq. Andrés Grau /Arq. Felicita Cersofio /Arq. Julieta Zampedri /Arq. Erica Leyón /Arq. Federico Cairoli /Arq. Aylen Torres, da Argentina.

* Sesc 24 De Maio, de Paulo Mendes Da Rocha + Mmbb Arquitetos, do Brasil.

* Capela Ingá-Mirim, de Rodrigo Quintella Messina e Francisco Javier Rivas, do Brasil.

* Sede Para Uma Fábrica De Blocos, de Anna Juni, Enk Te Winkel e Gustavo Delonero [Vão], do Brasil.

* Edificio Municipal de Nancagua, de Alejandro Beals e Loreto Lyon, do Chile.

* Casa de las camas en el aire, de Al Borde, do Equador.

* Casa Entre Bloques, de Natura Futura Arquitectura, do Equador.

* Museo del Clima en Lleida (2008-2018), de Toni Gironès Saderra, da Espanha.

* Campo De Fútbol A Gandareira, de Abraham Castro Neira e Carlos Alberto Pita Abad, da Espanha.

* Metro De Granada, Estación Alcázar Genil, de Antonio Jiménez Torrecillas, da Espanha.

* Centro Cultural Teopanzolco, de Isaac Broid + Productora (Carlos Bedoya, Wonne Ickx, Victor Jaime, Abel Perles), do México.

* Vivero Guayacán, de Ambrosi Etchegaray, do México.

* Clínica Médica/Vivienda, de Elgue y Asociados (Arquitetos Luis Alberto Elgue e Cecilia Román), do Paraguai.

* Una nueva escuela en la Comunidad Nativa de Jerusalén de Miñaro, de Asociación Semillas para el Desarrollo Sostenible, do Peru.

* Renovação do Colégio da Trindade, de Manuel Aires Mateus e Francisco Aires Mateus, de Portugal.

* Escuela de Tiempo Completo N300, Colonia Nicolich, de Mariana Cecilio Magariños _ Paepu/Anep, do Uruguai.

* Iglesia San Juan María Vianney - Media Legua, de Elisa Silva, Enlace Arquitectura, da Venezuela.

Todas eles revelaram-se fiéis ao espírito da XI BIAU: o habitar, o habitante. Todas eles são propostas muito potentes, matéricas, e que foram feitas pensando em quem (e como) as habitará. Além disso, receberam o prêmio especial do Panorama de Obras o Sesc 24 De Maio, de Paulo Mendes Da Rocha + Mmbb Arquitetos, do Brasil, e o Museo del Clima en Lleida (2008-2018), de Toni Gironès Saderra, da Espanha.

Na categoria Publicações, obtiveram reconhecimento os Guias de Arquitetura de Projetos Construídos de Portugal, de A+A Books, com coordenação editorial de Maria Melo e Michel Toussaint e vários autores. Ganhou também a publicação periódica Bartlebooth (Protocolos Mais além do humano), iniciativa editorial de Antonio Giráldez López, Begoña Hermida Castro e Pablo Ibáñez Ferrera, de vários autores, da Espanha.

Na categoria Textos de investigação, o primeiro prêmio coube a "A bela desordem. Da harmonia vitruviana ao descobrimento do caótico como fonte da estética arquitetónica", de Carlos Santamarina-Macho; o segundo foi concedido a "A linha da água. O monumento à mulher partigiana de Carlo Scarpa em Veneza", de Carmen Martínez Arroyo, Rodrigo Pemjean Muñoz e Enrique Delgado Cámara; e o terceiro prêmio foi para "O Japonismo em Marion Mahony Griffin e Walter Burley Griffin. Dos conceitos gráficos do Ukiyo-e a uma estratégia projetual alternativa", de Javier Mosquera González. Um prêmio extra foi entregue a "Renders habitados e arquitetura deserta. A mensagem oculta da arquitetura revelada pela fotografia", de Felipe Samarán Saló.

Na categoria Trabalhos Acadêmicos, foram premiados "Encontrei uma cadeira. Dois olhares sobre o quotidiano", de Loreto Corisco González, da Espanha, e "P.M.A - Protótipo Mocambo Anfíbio", de Aline Kellen Teixeira Barros Rabelo, do Brasil.

O Prêmio Ibero-americano de Arquitetura e Urbanismo foi outorgado ex aequo a César Ortiz-Echagüe Rubio (Madrid, 1927) e Jorge Enrique Scrimaglio (Rosário, 1937).

Para que também integrassem a XI BIAU imagens reveladoras da realidade do habitar na Ibero-América, a Bienal lançou um convite a todos os arquitetos, estudantes de arquitetura ou apreciadores de arquitetura da Ibero-América ou de fora dela para que submetessem fotografias nas quais se valoriza mais a mensagem do que a qualidade fotográfica. As imagens selecionadas estão expostas na Estación Central de Ferrocarriles de Assunção. Foram concedidos adicionalmente mais dois prêmios, um popular e outro avaliado pelos membros do júri Habitando a Ibero-América.

Os curadores dos países participantes da Bienal lideraram 13 grupos de trabalho para desenvolver propostas de melhoria e transformação do bairro Ricardo Brugada, mais conhecido como La Chacarita - um dos mais antigos da capital paraguaia. Arquitetos e moradores locais tiveram uma série de encontros nesse sentido. A colaboração dos habitantes permitiu, por fim, que as obras premiadas na BIAU fossem expostas em casas particulares. Veja imagens na galeria a seguir.



Publicada originalmente em ARCOweb em 09 de Outubro de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora