Fora do eixo: os brasileiros na Bienal de Buenos Aires

A participação brasileira na XVII Bienal Internacional de Arquitectura de Buenos Aires, que será inaugurada em 15 de outubro, reconhece profissionais que não atuam preferencialmente no Rio de Janeiro nem em São Paulo

Interior do prédio da Usina del Arte, local que vai sediar a Bienal (Foto: Revista 90+10)

Desde 1985, a capital da Argentina abriga uma das mais destacadas celebrações da cultura arquitetônica internacional, a Bienal Internacional de Arquitectura de Buenos Aires - um dos eventos mais importantes da região, pioneiro das demais Bienais do mesmo tema na América Latina.

Nessas ocasiões - ou seja, a cada dois anos-, a cidade se transforma em um palco privilegiado para o diálogo sobre arquitetura, reunindo interessados e abrindo espaço para a realização de conferências com profissionais renomados mundialmente. Para a edição de 2019, a organização espera a realização de um número superior de conferências, debates e mesas redondas do que em 2017. Também conta com a participação de 15 países, a organização de 25 exposições temáticas, além de prever a presença de mais de 50 oradores e 30 mil visitantes.

Chamada de "Brasil: Outras Arquiteturas", a participação brasileira pretende apresentar projetos e trabalhos de arquitetos fora do tradicional eixo Rio-São Paulo, destacando as tendências regionais da arquitetura brasileira, normalmente pouco exibidas em mostras internacionais. Também será destacado o trabalho de jovens profissionais que estão se revelando na arquitetura brasileira.

A relação dos profissionais e escritórios que estarão presentes compreende: Aleph Zero/Rosenbaum, vindos de Curitiba e São Paulo; Ricardo Monti/MOS, de Florianópolis; Meia Dois Nove, de Belém; Repsold Arquitetos, de Vitória; M2p Arquitetura e Engenharia, de Belém; O Norte­Oficina de Criação, de Recife; Traço Planejamento e Arquitetura, de Maceió; José Afonso Porto Carrero, de Cuiabá (MT); Rede Arquitetos, de Fortaleza; Marco Antonio Borsoi, de Recife; Gil Carlos de Camilo, de Campo Grande. Haverá uma homenagem especial ao arquiteto Demetre Anastassaskis (1948-2019), falecido este ano.

No módulo de urbanismo, serão apresentados os principais projetos que estão sendo desenvolvidos pelo arquiteto e urbanista Michel Mittman no comando do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF). O Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis é um órgão da Prefeitura de Florianópolis comandado pelo arquiteto e urbanista Michel Mittmann desde 2018. Neste período, participou da implantação de diferentes projetos, programas e ações, como o Ponte Viva: Hercílio Luz para as Pessoas; Calçada Certa, Mais Pedestres, Mais Pedal; a formação da rede de espaços públicos; o processo eleitoral para a formação do Conselho da Cidade. Atualmente, Mittmann é secretário de Mobilidade Urbana de Florianópolis.

Esses trabalhos serão exibidos posteriormente em Florianópolis no IV Destaque das Bienais de Arquitetura, da qual são curadores Vicente Wissenbach e o arquiteto André Schmitt.

XVII Bienal Internacional de Arquitectura de Buenos Aires
Data de 15 a 26 de outubro de 2019
Local Usina del Arte
Endereço Agustín R. Caffarena 1, La Boca, Buenos Aires
Abertura de 15 a 18 de outubro, das 10 às 20h; de 19 a 26 de outubro, das 14 às 20h
Entrada gratuita
As conferências ocorrem entre 15 e 18 de outubro, das 9 às 20 h, e são pagas
Tel. 54 11 4909-2076

Veja mais no site da Bienal

Publicada originalmente em ARCOweb em 16 de Setembro de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora