Minha Casa Minha Vida com projeto de Isay Weinfeld

Na Vila Buarque, edifício de 15 andares destinado à habitação social ganha traço do arquiteto Isay Weinfeld


Croqui do Bem Viver Marquês de Itu, assinado por Isay Weinfeld (Imagem: Danilo Zamboni / Divulgação)

A proposta para o empreendimento Bem Viver Marquês de Itu é assinada pelo arquiteto e urbanista Isay Weinfeld, profissional reconhecido pelo desenho de requintados projetos arquitetônicos nacionais e internacionais. O edifício, que estará na esquina formada pelas vias Marquês de Itu e Amaral Gurgel, ainda carrega o cunho de habitação de interesse social e tem parceria com o programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

A iniciativa de construção, na verdade, faz parte da proposta da Magik JC, que em 2009 estreitou laços com a Caixa Econômica Federal a partir da construção de cerca de duas mil unidades do MCMV. Ainda em 2016, a empresa deu início no projeto BEM VIVER, cujo planejamento é de edificar empreendimentos residenciais pela região central de São Paulo dentro do referido programa.

A grande novidade, que não se observa no histórico da política de interesse social no país, é a qualidade e o rigor para com os lançamentos. Tem-se observado o recorrente convite a renomados escritórios de arquitetura para o desenho das novas habitações. Além desse último assinado por Weinfeld, a quase 200 metros de distância encontra-se o Bem Viver General Jardim, que leva o nome do escritório paulistano SIAA.

Destinado a famílias que possuam renda máxima de seis salários mínimos, enquadrando-se na faixa HIS 2 do MCMV, o Bem Viver Marquês de Itu tem lançamento previsto para fevereiro de 2020. As 125 unidades, de 25 a 34 metros quadrados, variam em quatro tipologias para que seja certificada a qualidade interna de cada apartamento e não haja comprometimento de vista e boa ventilação. Também faz parte do projeto o térreo comercial de pé-direito duplo aberto para o calçamento generoso.

Weinfeld revelou ter pedido uma lista de restrições impostas pelo programa habitacional - cuja impressão pessoal é de que sejam pecaminosas as qualidades tanto de projeto quanto de construção - logo no início da contratação. Essa iniciativa, na verdade, o conduziu para trabalhar nos conformes do MCMV e viabilizar manutenção posterior.

Outra questão é a relação entre o novo prédio e o Elevado Presidente João Goulart - “Minhocão” -, uma vez que o terreno ocupa o primeiro trecho do Parque Minhocão. Mesmo que a preferência do arquiteto seja pelo fim da passagem de veículos, afirma ter prosseguido com o mesmo desenho de edifício apesar do atual uso da via.

Publicada originalmente em ARCOweb em 13 de Setembro de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora