Serpentine Pavilion 2020 é projeto do escritório Counterspace

Africano e liderado por mulheres, o estúdio Counterspace vence a disputa e apresenta uma proposta inspirada na cidade de Londres e desenvolvida a partir de resíduos reciclados


Amina Kaskar, Sumayya Vally e Sarah de Villiers, líderes do escritrório sul-africano Counterspace (Foto: Cortesia Counterspace)

Em fevereiro, o escritório colaborativo Counterspace foi anunciado como responsável pelo projeto do Serpentine Pavilion 2020. Com base em Joanesburgo, África do Sul, o estúdio é liderado por Sumayya Vally, Sarah de Villiers e Amina Kaskar, que hoje figuram como as mais jovens profissionais a projetar a famosa estrutura.

Na verdade, o trio buscou incorporar em sua proposta alguns aspectos diferenciais, a começar pelo conceito de "reunir uma variedade de formas extraídas das partes de Londres (...). [Isto é], as quebras, gradientes e variações de cor e textura entre as diferentes partes do pavilhão reconstroem e compilam as partes da cidade de uma maneira facilmente legível ", explica Sumayya Vally.

Já a respeito da volumetria, o processo foi gerado a partir de adições, superposições, subtrações e emendas de formas, todas “transcritas diretamente dos espaços relevantes para turistas, migrantes, residentes da cidade", continua.

Além disso, a questão construtiva é evindenciada, uma vez que une técnicas contemporâneas e vernaculares, ambas materializadas em espaços específicos - dentre as matérias-primas, incluem-se módulos K-Briq e cortiça, concebidos quase 100% inteiramente por resíduos reciclados provenientes de outras construções.

“Estamos animados para trabalhar com o Counterspace em nosso 20º Pavilhão. A ideia de trazer diferentes comunidades é muito importante. Ficamos totalmente convencidos pela dimensão social de sua atuação, pois trazem uma perspectiva africana e internacional, mas aplicada a Londres. (...) Em todas as esferas da Serpentine, buscamos fazer justamente tais conexões entre artistas, arquitetos e comunidades mundiais”, depõe Hans Ulrich Obrist, diretor artístico das Serpentine Galleries.

Em comemoração a seu quinquenário e à 20ª edição do concurso do pavilhão, a Serpentine brinda sua histórica excelência em ser uma das principais plataformas para profissionais emergentes e artistas reconhecidos internacionalmente. É por isso que, neste ano, mais do que nos anteriores, o Serpentine Pavilion será um lugar para debate e fomento de novas ideias, onde o público poderá explorar questões relacionadas à arquitetura e o que a envolve - por exemplo, como ela pode criar espaços que conectem? Ou como pode promover o bem-estar da comunidade?

Aberta durante quatro meses para visitação - de 11 de junho a 11 de outubro de 2020 -, a intervenção incluirá pequenas peças móveis que serão levadas a diferentes bairros de Londres após o evento.

Mais informações no site oficial do Serpentine Galleries.



Publicada originalmente em ARCOweb em 26 de Fevereiro de 2020
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora