Andrade Morettin Arquitetos: Residência P.E., São Paulo

Luminosidade tropical

Uma casa urbana e organizada sob uma cobertura contínua, que atua como um colchão de ar a refrescar os interiores: Neste projeto do Andrade Morettin Arquitetos, os componentes construtivos industrializados são agenciados de modo a garantir conforto - acústico, térmico, luminoso - aos moradores. Os sombreamentos sucessivos criam uma luminosidade amena, equilibrada entre interior e exterior da casa

A casa está inserida em um terreno grande, de 3.000 metros quadrados de área, sobretudo se considerada a sua localização privilegiada - central, mas em zona residencial - na capital paulista. Ela é constituída por dois blocos perpendiculares entre si, um comprido e largo junto à divisa frontal, e outro, estreito, colado na lateral esquerda do lote.

A metade esquerda do primeiro - ala íntima - está assentada na cota original do terreno, enquanto que o segundo - o setor social e área técnica - é semienterrado. Ambos possuem dois pavimentos, sendo que a altura total da construção em relação à rua é de 7,70 metros, menor do que o permitido pela legislação urbanística. A ideia é que seja discreta a sua presença no entorno.

A implantação em L preserva as - não poucas - árvores existentes no terreno, gerando uma grande área livre envolvida pelas construções. Alinhada com a ala íntima está um amplo jardim, com árvores ao fundo e um espelho d’água na vizinhança dos quartos. Já nas imediações da sala e dos demais ambientes de estar e lazer há um pátio com piso elevado de granito, entremeado pela piscina e por dois nichos quadrados que acolhem árvores.

Na sua extremidade posterior um volume envidraçado acomoda a biblioteca, cuja cota de piso coincide com a do jardim. O bloco frontal, dos quartos e sala, é uma construção feita com componentes industriais, sobre o qual se estende uma grande cobertura com colchão de ar que refresca os interiores. Ela possui 47 metros de extensão por 15,75 metros de largura e está distanciada de 2 a 3 metros das divisas laterais do terreno e 6 metros da frente.

Duas vigas longitudinais com perfil de duplo I perfazem os 52 metros de largura do terreno, cruzando de muro a muro e vencendo vão de 18 metros. Sobre as grandes vigas estão posicionadas as vigas transversais da cobertura que, travadas entre si por barra quadrada contínua próximo às extremidades, servem de apoio para o telhado propriamente dito.

Acima dos quartos, ele é constituído por painel de aglomerado de madeira recoberto com manta impermeabilizante, no alto, e por painel misto, de madeira e placa cimentícia, acoplado à placa de gesso no forro.

Já sobre a sala de estar, que funciona como a extensão interna do pátio, a cobertura é envidraçada, protegida por brise metálico horizontal. Este bloco principal tem as fachadas longitudinais recobertas com painéis preenchidos com chapa perfurada que funcionam como brises.

Parte deles se move com abertura do tipo camarão e todos estão afastados da construção. Em conjunto com a vegetação densa e os grandes beirais da edificação, feitos com vidro e associados a tubos cerâmicos que funcionam como difusores de luz, os brises geram uma luminosidade amena, qualificada pelo rendilhado de sombra e luz. Também o forro têxtil da sala ameniza a luz natural que passa pela cobertura de vidro, fazendo com que se equilibre a luz do interior com a do exterior.

O bloco lateral, por sua vez, é feito com paredes de concreto. Na sua pouca largura, da ordem de 3 metros, sucedem-se dependências de refeições, lazer e um miniestúdio de música, que estão em contato direto com o pátio - ou plataforma, como denominam os arquitetos - aberto. A junção do pátio com o gramado na parte ascendente do jardim, nos fundos, dissimula os semi-níveis, fazendo parecer se tratar de uma casa térrea.

   

Andrade Morettin Arquitetos

O escritório, fundado em 1997, surgiu da associação dos arquitetos Vinicius Andrade e Marcelo Morettin, ambos formados pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP) em 1992 e 1991, respectivamente. Atuando na área de projetos de arquitetura e urbanismo, desenvolve projetos de diversas escalas e de naturezas variadas, tanto para o setor público como para o setor privado. A conquista de algumas premiações importantes no panorama nacional e internacional conferiu ao escritório considerável estabilidade e garantiu o encargo de projetos de relevância na cidade. Marcelo Maia Rosa (Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2005) e Renata Andrulis (FAU/USP, 2004) são arquitetos associados do escritório



Ficha Técnica

Residência P.E.
Local
São Paulo (SP)
Início do projeto 2013
Conclusão da obra 2017
Área do terreno 3.040 m2
Área construída 1.885 m2

Arquitetura Andrade Morettin Arquitetos - Vinicius Andrade, Marcelo Morettin, Renata Andrulis, Marcelo Maia Rosa (autores); Gusmão Otero, Bruno Gondo (equipe); Vito Macchione (colaborador)
Estrutura GOP; Telecki Arquitetura de Projetos; Eleve Construções Metálicas
Fachada Grupo Galtier
Interiores Studio Mellone
Paisagismo Raul Pereira Arquitetos
Luminotécnica Lux Projetos
Acústica Harmonia Acústica
Engenharia mecânica Greenwatt Consultores de Energia; MKR Instamaq
Engenharia de instalações Zamaro Eng.
Construção All’e Engenharia
Coordenador de projetos Canal & Musse - José Luiz Canal
Fotos Nelson Kon

Fornecedores

Alwitra (membrana de impermeabilização);
Ecosys (espelho d’água);
Faveton (brises cerâmicos);
Arthur Decor (persianas, forro translúcido);
Grupo Galtier (caixilhos, vidros e proteções)

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 449
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora