Chão Arquitetos: Escola pública FDE, Itapevi, SP

Adro externo frontal cria área de convivência

Na frente da escola, um recuo no gradil gerou um espaço público do qual os jovens se apropriaram, criando um ponto de encontro

A implantação da escola pública estadual projetada por Fábio Mosaner e Cícero Ferraz Cruz procurou respeitar o desenho do atalho que os próprios moradores criaram, ao longo do tempo, na gleba onde a construção foi inserida, em Itapevi, município da Grande São Paulo. 

Cercada por conjuntos habitacionais da periferia da zona metropolitana de São Paulo e por restos de mata fechada, a escola pública estadual criada por Fábio Mosaner e Cícero Ferraz Cruz integra o processo de expansão de unidades de ensino coordenado pela Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), organismo do governo paulista. O projeto dos titulares do escritório Chão Arquitetos utiliza toda a cartilha de componentes proposta pela FDE, além da estrutura pré-moldada de concreto iniciada em 2003.

O terreno destinado à construção é uma das porções de uma gleba que foi rasgada por uma rua em S, solução que buscou, diante da acidentada topografia, facilitar o acesso ao conjunto de prédios.

A ideia original da implantação foi tentar manter o desenho do atalho criado pelos pedestres no lote. “Os moradores cortavam caminho por ali. Havia um percurso consolidado”, conta Cruz. A intenção que motivou os autores a escolher essa implantação ficou demonstrada na espécie de adro que se formou na frente da escola. “Queríamos que a grade fechasse o limite da construção, permitindo um espaço público maior, mas as normas da FDE são rígidas”, ele explica.

Para alegria dos autores, o pequeno espaço frontal onde o gradil foi recuado forma, para acomodação da topografia, uma pequena arquibancada pública, adotada como ponto de encontro dos jovens da região. “Se todos os projetos contassem com gestos como esse, as cidades seriam melhores”, sonha Cruz. Esse adro fica em uma cota média do terreno e se estabelece como pavimento intermediário da construção (há ainda um piso acima e outro abaixo). Essa solução demonstra outra peculiaridade que norteou o projeto: o desejo de manter o volume o mais baixo possível, de forma que ele interferisse pouco na paisagem. “Queríamos que parte da vista dos apartamentos na direção da mata fosse mantida”, lembra o arquiteto.

Assim, visto de fora o volume parece maciço. Contudo, o miolo é formado por dois grandes vazios: no centro fica a quadra de esportes, levemente rebaixada em relação ao térreo para alcançar o pé-direito necessário; ao seu lado, isolado por um painel de elementos vazados de concreto, foi implantado um jardim interno, que ajuda a separar o bloco de salas de aulas do restante da escola.


Chão Arquitetos
Fábio Mosaner e Cícero Ferraz Cruz formaram-se na FAU/USP em 1999 e no mesmo ano criaram o escritório Chão Arquitetos, sediado em São Paulo. Paralelamente, colaboram com os escritórios Barbosa & Corbucci, Vainer & Paoliello e Brasil Arquitetura



Ficha Técnica

Escola pública estadual
Local Itapevi, SP
Início do projeto 2006
Conclusão da obra 2008
Área do terreno 4.617 m²
Área construída 3.606 m²
Arquitetura Chão Arquitetos - Fábio Mosaner e Cícero Ferraz Cruz (autores); Suzana Barboza, Vanessa Friso e Fernando Barros (colaboradores)
Projeto estrutural CTC - Francisco de Assis e Silva
Elétrica e hidráulica Sandretec
Sondagem Geométrica
Consultoria Cepollina (fundação); Zamarion e Millen (pré-moldados)
Construção Profac
Fotos Daniel Ducci

Fornecedores

Arcelor Mittal (vergalhões);
IPR (estacas);
Bass (elevadores);
Block In (blocos de concreto);
Cimpor (cimento)

Texto de Fernando Serapião | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 351
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora