Conteúdo LANXESS

Concreto amarelo simboliza cor do sertão

O concreto colorido com os pigmentos Bayferrox, da Lanxess, apresenta alta performance em suas propriedades químicas, especialmente quanto ao seu poder de tingimento e constância de cor. Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz, sócios-fundadores do Brasil Arquitetura, explicam que o concreto colorido do Museu Cais do Sertão Luiz Gonzaga aparece em tom amarelo para simbolizar a cor quente das pedras e solo do sertão nordestino

O Museu Cais do Sertão Luiz Gonzaga se configura como um marco urbano e cultural na paisagem de Recife, em Pernambuco. Localizado à beira mar, o espaço ocupa um dos armazéns do antigo porto da capital, além de uma grande área livre adjacente.

Com área de 7 mil metros quadrados, o Cais do Sertão surgiu com a finalidade de tratar sobre a vida e cultura sertanejas a partir da trajetória de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião. Assinado pelo escritório paulistano Brasil Arquitetura, o museu mescla, por meio de seus territórios, tradição e tecnologia, dos quais a arquitetura faz parte da narrativa.

Com o propósito de aproximar os elementos arquitetônicos da cultura local, os pigmentos inorgânicos Bayferrox foram utilizados para colorir integralmente o concreto aparente, em tonalidade amarela. Inspirada na Pedra do Castelo do Piauí, ela simboliza a cor quente das pedras e do solo do sertão nordestino, segundo Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz.

Composta majoritariamente por concreto, a estrutura sofisticada do museu apresenta uma grande marquise em concreto colorido protendido logo na entrada do edifício. Seu generoso vão livre se configura em uma praça coberta, onde chama a atenção uma abertura circular que abriga um juazeiro, árvore típica da região.

A edificação divide-se em duas partes: o primeiro módulo abriga a exposição de longa permanência; e o segundo abriga exposições temporárias, reserva técnica, auditório, entre outros espaços. Um cobogó pensado exclusivamente para o projeto destaca-se na fachada do segundo módulo, funcionando como uma grande renda branca. De acordo com os arquitetos, foi também intencional utilizar o concreto amarelo por trás desse elemento, o que acabou trazendo um efeito dourado quando iluminado à noite.

O concreto colorido foi utilizado externa e internamente em todo o concreto da superestrutura, com exceção da fundação. Os autores explicam que a escolha pelo Bayferrox, além de uma decisão projetual, deu-se também por uma questão de durabilidade e constância da cor. Os pigmentos da Lanxess oferecem resistência superior à luz e a condições climáticas extremas, além de terem uma ampla gama de cores.

Comprometida com a sustentabilidade, a empresa oferece produtos de alta performance, com expertise e processos de produção inofensivos ao meio ambiente. Seus produtos são os únicos no mundo que possuem certificação de conteúdo reciclável do SCS Global Services.

www.bayferrox.com.br
0800-132822



Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 446
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora