Eduardo de Almeida: Residência, São Paulo-SP

Implantação elevada valoriza volumetria da edificação

Fichas técnicas
Fornecedores
Plantas, cortes e fachadas
Vista da fachada posterior. As extremidades longitudinais da edificação concentram as principais aberturas
Implantação elevada valoriza
volumetria da edificação
Uma caixa elevada do solo. É assim que o arquiteto Eduardo de Almeida define o projeto que concebeu para a residência de seu filho, na zona oeste de São Paulo. Localizada no bairro Butantã City , ela responde a limitações construtivas mais restritivas do que a legislação municipal, o que motivou a adoção do partido de bloco único , centralizado. Extremamente simétrica , a casa é caracterizada pela singela linguagem de pavilhão.
A volumetria retilínea é marcada pelo desenho dos elementos estruturais metálicos , ou seja, pilares e vigas aparentes, de seção I. Eles requadram paredes de vedação feitas com tijolo aparente , além de fechamentos de vidro temperado e caixilho metálico branco.
A característica urbana do lote, definida pela escassa largura de 12 metros, e a orientação quanto à incidência de luz solar fizeram com que as aberturas principais se voltassem para a frente e os fundos do terreno. Elas conformam, respectivamente, as faces sul e norte da edificação. Nessas extremidades, os limites do térreo são recuados pouco mais de um metro em relação ao pavimento superior, desenho que configura varandas ou espaços de entrada. Por isso, o arquiteto filtrou a insolação através da sobreposição de tipos diferentes de caixilhos .
No alinhamento externo do piso superior, painéis retangulares fixos, constituídos por requadros de chapa branca perfurada , geram interessante luminosidade natural nos interiores. Junto à face frontal, eles foram sobrepostos aos caixilhos com vidro temperado incolor, de forma a dar privacidade à passarela de acesso aos dormitórios. Para a fachada posterior, o arquiteto desenhou painéis metálicos de abrir, que integram o quarto principal ao pátio aberto, nos fundos do lote.
A localização da escada metálica , que Eduardo de Almeida qualifica por sua “presença arquitetônica”, é determinante da setorização . Posicionada junto à entrada social, na lateral esquerda da casa, ela está alinhada com os patamares que interligam os níveis da construção e do terreno, desenhando um eixo longitudinal de circulação nos dois pavimentos.
No térreo, esse eixo é enfatizado pela posição central dos pilares metálicos brancos, os únicos de seção circular, de forma a criar sutil distinção entre as áreas de estar, de jantar e da cozinha. E, no pavimento superior, ele abriga o corredor de acesso aos dormitórios, que, por sua vez, delimita a área do vazio central.
Embora se destaque a rígida padronização dos materiais - paredes com tijolo aparente, laje pré-fabricada, piso de granilite e pintura branca nas superfícies -, o elemento central dos interiores é o extenso balcão da cozinha. Ele integra o ambiente a todo o térreo, e é caracterizado pela interação de tampo e prateleiras de mármore com os armários laterais, baixos, feitos com madeira.
O arquiteto destaca a implantação elevada da edificação como um dos elementos qualificadores e distintivos do projeto. “Isso a tornou mais bonita ”, comenta ele, sobretudo porque a casa não é encostada em nenhuma das divisas do lote. Além de vantagens estéticas, o desenho gera qualidades funcionais, como a otimização do conforto ambiental interior.

Texto resumido a partir de reportagem
de Evelise Grunow
Publicada originalmente em PROJETO DESIGN
Edição 310 Dezembro de 2005
Vista em direção da entrada principal. A transição entre acabamentos e alturas sinaliza os setores do programa
O vazio central integra visualmente o estar, no térreo,
ao acesso dos dormitórios, no andar superior,
e enfatiza a longitudinalidade da edificação
A escada metálica tem “presença arquitetônica”
na edificação, destaca Eduardo de Almeida
O escritório tem caixilho que integra vidro transparente e veneziana móvel, a fim de proteger os interiores da excessiva insolação norte
A escada foi posicioada junto ao acesso principal
da casa, configurando um hall de entrada
O balcão da cozinha é o centro dos interiores e do programa. Seu desenho longitudinal alterna prateleiras de mármore e madeira

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 310

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora