Flávio Agostini, Frederico Bernis e Juliana Myrrha: Café e charutaria, Belo Horizonte-MG

Flexibilidade espacial e luminosa

Fichas técnicas
Fornecedores
Plantas, cortes e fachadas
Múltiplos efeitos de luz valorizam os ambientes do café e charutaria
Flexibilidade espacial e luminosa
Um dos poucos equipamentos fixos do edifício do café e charutaria, projetado pelos arquitetos Flávio Agostini, Frederico Bernis e Juliana Myrrha, é o balcão longitudinal do térreo.
Mesas, expositores e até o umidor - ambiente fechado destinado ao correto armazenamento de charutos - são dotados de rodízios e ferragens especiais, como trilhos embutidos no forro, que permitem arranjos espaciais diversos.
A luminotécnica setorizou os variados tipos de lâmpadas em 21 circuitos independentes, a fim de proporcionar múltiplos efeitos de luz .
Embora seja elemento fixo, enfatizam os autores, o balcão de atendimento também se adapta ao conceito arquitetônico, já que os recortes irregulares feitos no tampo de madeira favorecem ambientações diversificadas.
Em decorrência do programa, o que predomina é a linguagem sóbria dos interiores, sobretudo pela utilização de materiais e acabamentos em tons escuros.

Texto resumido a partir de reportagem
de Cibele Felix
Publicada originalmente em PROJETO DESIGN
Edição 295 Setembro de 2004
A linguagem sóbria predomina nos interiores

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 295

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora