GMP: Estádio
Moses Mabhida

Arco e anéis travam membrana tensionada

Fichas técnicas
Plantas, cortes e fachadas
No topo, no centro do estádio, existe uma plataforma
Altura do arco que contribui para definição estética do conjunto supera cem metros. No topo, no centro do estádio, existe uma plataforma
Arco e anéis travam membrana tensionada
Uma imensa estrutura em arco, que em seu ponto mais alto ultrapassa os cem metros, é uma das marcas da arena, que foi desenhada pelo escritório GMP, vencedor de concurso internacional, e idealizada para tornar-se um ícone urbano.
Com caráter simbólico, o arco começa como peça cindida e se une no topo, representando a união do país ao superar a segregação
Com caráter simbólico, o arco começa como peça cindida e se une no topo, representando a união do país ao superar a segregação
A velocidade dos ventos foi considerada para a concepção estrutural da cobertura
Inaugurado no final de 2009, o novo estádio de Durban está próximo da costa. A velocidade dos ventos foi considerada para a concepção estrutural da cobertura

A área onde foi implantado o Moses Mabhida - que é parte do programa de desenvolvimento implementado na cidade para a realização da competição - fica próximo da costa do oceano Índico. Participaram da concepção da arena os engenheiros estruturais dos escritórios Schlaich, Bergermann und Partner (SBP) e BKS. Segundo os autores, o plano ambicioso levou-os a projetar um estádio único em escala e de beleza sem precedentes.

Com desenho ovalado, a arena se caracteriza pela cobertura única de politetrafluoretileno (PTFE) com 46 mil metros quadrados de área, pré-tensionada sobre uma malha de cabos. Esta, por sua vez, é tensionada contra anéis de compressão (dois) ao longo do perímetro do estádio e o arco que marca visualmente a composição. A estrutura da membrana exigiu uma densa malha para suporte dos cabos de modo a reduzir a tensão sobre a mesma, uma vez que ela está constantemente sujeita a altas cargas de vento.

Segundo os autores, a arena de Durban oferece conforto e atinge fator de segurança maior do que 5, índice determinado pelas normas europeias de projeto para estruturas de superfícies tensionadas. Para isso, a distância entre os cabos no anel e no arco precisou ser de, no máximo, oito metros. A concepção estrutural e a forma da cobertura permitem a captação de 75% da água da chuva através de calha localizada nos anéis de compressão.

À função estrutural desempenhada pelo grande arco, acrescenta-se seu caráter simbólico. Inicialmente, na parte sul, ele é fracionado em dois. Porém, no centro do estádio, a cerca de cem metros do solo, as duas partes se fundem e chegam ao lado norte unidas, representando, de forma metafórica, a situação de país que superou o regime de segregação racial. Os visitantes têm acesso ao topo do arco por uma escada com 550 degraus ou por um teleférico que os conduz a uma plataforma. De lá, têm visão panorâmica da cidade e do oceano.

A área onde foi construído o Estádio Moses Mabhida era antes ocupada pelo Estádio Kings Parc, que foi demolido. Dos 70 mil assentos previstos para a Copa, 16 mil são temporários. O desenho flexível permite ainda a ampliação para 80 mil lugares, capacidade que lhe permitiria ser usado, por exemplo, nos Jogos Olímpicos.

Os cabos são presos ao arco e aos anéis de compressão localizados no perímetro da construção
Vista noturna da arena. Os cabos são presos ao arco e aos anéis de compressão localizados no perímetro da construção
Escadas com 550 degraus levam ao topo do arco, de onde, numa plataforma, descortina-se vista panorâmica da cidade e do oceano
Escadas com 550 degraus levam ao topo do arco, de onde, numa plataforma, descortina-se vista panorâmica da cidade e do oceano
Um dos acessos ao estádio, onde também será disputada uma das semifinais da competição
Um dos acessos ao estádio, onde também será disputada uma das semifinais da competição
O sistema de iluminação está instalado na estrutura da cobertura
A membrana de PTFE que cobre o estádio foi também sugerida em projetos para arenas brasileiras da Copa de 2014. O sistema de iluminação está instalado na estrutura da cobertura

Localizada na província (equivalente aos estados brasileiros) de KwaZulu Natal, Durban possui o maior porto do país. O nome Natal foi uma “contribuição” do navegante Vasco da Gama, que, em 1497, em uma de suas viagens para as Índias, parou na região. Além disso, foi nessa cidade que o poeta português Fernando Pessoa viveu por dez anos, antes de retornar definitivamente para Lisboa.


Texto de Adilson Melendez
Publicada originalmente em PROJETODESIGN
Edição 364 Junho de 2010
Circulação vertical na área de camarotes
Circulação vertical na área de camarotes
Detalhe do sistema criado para a cobertura da arena
Vista do campo a partir de uma das áreas de camarote
Vista do campo a partir de uma das áreas de camarote
Ambiente de apoio aos camarotes
Ambiente de apoio aos camarotes

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 364
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora