Gustavo Penna: Casa de Música de Ouro Branco, Ouro Branco, MG

Caixa de música, de aço e madeira

Gustavo Penna costuma explicar poeticamente seus projetos. e não poderia ser outra a sua fonte de inspiração para discorrer sobre esse centro - local de aprendizado e apresentações - idealizado para a Casa de Música de Ouro Branco, em Minas Gerais. “O prédio tem suas pausas, sequências e presenças”, assinala o arquiteto sobre o seu processo criativo, referindo-se à alternância de áreas abertas e fechadas que constitui o projeto.

A posição deslocada do auditório, implantado quase que discretamente em uma das laterais da edificação, sinaliza que no projeto de Gustavo Penna para a Casa de Música de Ouro Branco, em Minas Gerais, o que importa é a vivência coletiva do espaço. As salas de aula – individuais, de ensaio, teórica ou prática – estão todas voltadas para um pátio central que, coberto por volume sobressalente em altura e ladeado por aberturas zenitais triangulares, serve tanto para acolher encontros informais quanto para a realização de apresentações artísticas. É por ele que ocorre o acesso ao auditório.

O centro será construído em terreno localizado em uma das entradas de Ouro Branco – sua localização coroa o final de uma das principais avenidas da cidade e cujos arredores são majoritariamente de habitação unifamiliar -, lindeiro à área de reserva natural e cuja topografia em aclive foi valorizada pelo projeto arquitetônico. Isso porque a posição do edifício, mais próxima à cota da área verde posterior, cria certo distanciamento, bem-vindo, em relação à rua. “Um prédio para ver e ser visto”, assinala o arquiteto Gustavo Penna, autor do projeto.

Trata-se de uma edificação de volumetria horizontalizada e de acessos bastante fluidos, que prolongam o interior nos espaços externos - há um terraço com vista para a mata e um anfiteatro moldado no terreno natural. A maior parte do programa será implantada no nível térreo, o que estimula o elogio de Penna ao contato franco da construção com o solo, estando rebaixada apenas a área dos camarins.

As salas de aula se sucedem linearmente junto à fachada frontal e suas paredes internas, voltadas para o pátio, são inclinadas a fim de favorecer a acústica. Do outro lado, próximo à mata, há duas salas de ensaio (da orquestra e do coro), lindeiras ao terraço aberto para a área verde.

As fachadas e o fechamento da cobertura elevada do pátio serão revestidos com chapas de aço foscas e rugosas, paginadas horizontalmente e entremeadas por estreitas aberturas envidraçadas. “Uma escola de música demanda introspecção, isolamento entre as salas e entre elas e o exterior. Mas não se tratam de estúdios fechados. Criei fendas que permitem espreitar o exterior”, explica o arquiteto, complementando ainda que a disposição das janelas leva em consideração a orientação solar, com aberturas maiores nos trechos de fachada lindeiros à zonas de carga térmica mais suave – também o beiral que circunda o edifício contribui para essa proteção.

Criada há 10 anos em um encontro na casa da pianista Kênia Líbano, a Casa de Música de Ouro Branco atende atualmente 200 alunos e, além do festival que promove anualmente, desenvolve complementarmente um trabalho de promoção sociocultural. Recentemente, a Gerdau se uniu ao projeto, com o apoio do BNDES, para viabilizar a construção de uma nova sede, que permitirá a abrangência maior dos seus eventos culturais, voltados inclusive a grupos externos.


Gustavo Penna
Gustavo Penna (Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais, 1973), é o titular do escritório Gustavo Penna Arquiteto e Associados e o autor, entre outros projetos, da urbanização do entorno do Mineirão, estádio usado na Copa do Mundo de 2014



Ficha Técnica

Casa da Música de Ouro Branco 
Local Ouro Branco, (MG) 
Ano de início do projeto 2017 
Área do terreno 3.293,60 m² 
Área construída 2.365 m² (térreo), 377 m² (subsolo)

Arquitetura Gustavo Penna (autor); Norberto Bambozzi, Laura Penna, Letícia Carneiro, Oded Stahl, Alice Leite Flores, Fernanda Tolentino, Henrique Neves, Raquel de Resende, Eduardo Magalhães, Julia Lins, Bárbara Novais, Ada Penna (equipe); Larissa Freire, Sávio Nogueira, Lucas Moreira (estagiários); Rísia Botrel, Isabela Tolentino, Taimara Silva Araújo (gestão e planejamento); Diana Penna (comunicação); Raquel de Resende (imagens)

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 441
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora