PERFIL: Gustavo Penna

Metáforas em projeto futuro

Praticamente seu único elemento visível será um círculo metálico, representando a aura/halo de Nossa Senhora

Localizado no alto da serra da Piedade, em área que pertence ao município de Caeté, a quase 50 quilômetros de Belo Horizonte, o Santuário Nossa Senhora da Piedade deverá atrair, nos próximos anos, não só a visita dos devotos, mas também dos incréus que não sejam insensíveis ao belo.

Isso porque, nas imediações desse local de peregrinação, deverá ser construído o Museu Maria Regina Mundi (Maria, Rainha do Mundo), cuja concepção é do escritório Gustavo Penna Arquiteto & Associados, contratado para o trabalho pela Arquidiocese de Belo Horizonte. Um dos objetivos do espaço é cultivar a devoção a Nossa Senhora e ampliar os conhecimentos dos fiéis sobre ela.

Para a implantação do museu, uma das decisões do projeto foi retirar do terreno várias construções existentes, praticamente reconstituindo a paisagem serrana local e inserindo a edificação de modo que ela venha a parecer naturalmente incorporada ao entorno. Assim, o conjunto edificado ficará quase todo em falso subsolo.

Praticamente seu único elemento visível será um círculo metálico (feito de ferro da serra, conforme pontua Penna, no memorial do trabalho), representando a aura/halo que aparece nas representações de Nossa Senhora e que poderá ser observado a distância. Esse círculo estende-se sobre uma praça para a celebração de missas campais.

Espaços para exposições, auditório, cafeteria/loja/livraria e áreas administrativas estão entre as funções equacionadas pelo projeto, incorporadas a diferentes cotas do terreno. No nível superior, por entre as rochas da paisagem, está previsto um caminho que, saindo da área de acolhimento (junto à praça de retorno), leva primeiro ao acesso principal e, na sequência, ao mirante.

O projeto, conforme explica a arquiteta Alice Leite Flores, da equipe do escritório, foi concebido no campo das metáforas. Nessa interpretação, a aura/halo configurada pelo círculo metálico (permanentemente visto, mas jamais tocado) é, ao mesmo tempo, o elemento de coroação da montanha e representativo da pureza de Maria. O percurso até ele, por sua vez, é uma espécie de caminho ritualístico.



Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 431
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora