Obras institucionais: Anos 90

Uma releitura crítica do Modernismo

Uma releitura crítica do Modernismo
Criada por Jorge Caron, a torre da Cultura caracteriza-se pela inserção urbana e pela geometria triangular, que orienta a composição de todo o projeto. Já a sede de Campo Grande, projetada por Montezuma, Avellar e Fernandes, demonstra a facilidade com que o programa se adapta a uma estrutura existente.

O Centro de Lançamento de Alcântara (1985/92), de Luis Espallargas Gimenez, é representativo de uma escola surgida entre as décadas de 80 e 90, com a revisão crítica do modernismo. O programa visa abrigar a base do programa espacial brasileiro em diversos edifícios, todos com tipologia semelhante.

A categoria profissional dos contadores foi responsável por duas construções emblemáticas: o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e o Conselho Regional de Contabilidade/São Paulo (CRC/SP). Ambas fazem parte do pequeno grupo dos concursos cujas obras foram levadas a cabo, e, coincidentemente, expressaram de forma diversa os anseios de jovens arquitetos de São Paulo. O CRC (1990/95; PD 192), criado por Roberto Amá, Marcelo Barbosa e Jupira Corbucci, faz uma releitura do modernismo brasileiro. Já o CFC (1993/97; PD 221), de José Luiz Tabith e Carlos Eduardo Bianchini, é o ponto culminante da pesquisa formal desenvolvida pela dupla durante mais de uma década: a decomposição de volumes denuncia as diferenças de uso sobre uma rígida estrutura.

O Centro Brasileiro Britânico (1999/2000; PD 221), de Marc Rubin, abriga diversas instituições inglesas com desenho preciso e acabamentos austeros. Dentre os edifícios projetados durante a década para abrigar a Justiça, a obra do TRT/SP - interessante projeto de Decio Tozzi com um grande vazio central -, mesmo inacabada, esteve na ordem do dia, por causa de desvio de verbas.

Em Pernambuco, o projeto do Tribunal Regional Federal de Recife (1990/94; PD 139 e 182), de Jerônimo & Pontual, implantou o complexo programa em um elegante volume vertical com planta-tipo em forma de elipse. No mesmo estado está sendo concluído o Fórum de Recife (PD 219), de Paulo Raposo. Mário Aluísio Melo criou no Fórum de Maceió (1997/98; PD 231) um grande vazio central em edifício horizontal, em que o peso da rigidez da modulação contrasta com a liberdade de alguns elementos.

Publicada originalmente em PROJETODESIGN
Edição 250 Dezembro de 2000

Fórum, em Maceió-AL, projeto de Mário Aluísio Melo
Foto: Manuel Leite
Tribunal Regional Federal, em Recife-PE, por Jerônimo e Pontual
Foto: Carlos Fernando Pontual
Torre da TV Cultura, em São Paulo,
projetada por Jorge Caron
Foto: Flávio Bacelar
Sede e torre da TV Educativa, em Campo Grande-MS, projetada por Montezuma, Avelar e Fernandes
Foto: Roberto Higa/Mauro Elias
Centro Britânico, em São Paulo,
por Marc Rubin
Foto: Cristiano Mascaro

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 250

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora