Pitá Arquitetura: Escritório ING, São Paulo

Ponto de equilíbrio

O projeto do escritório Pitá Arquitetura para a nova sede do banco ING concilia a tradição da instituição financeira com a sua cultura de transformar-se constantemente. Por meio do layout flexível e da delicadeza dos materiais, o escritório de 1,8 mil metros quadrados localizado em edifício corporativo paulistano tem espaços versáteis e abundante luminosidade natural

Após dois trabalhos realizados para o cliente, o terceiro chamado - o banco holandês ING passaria a ocupar um endereço na capital paulista - pedia uma reinvenção conceitual. Se na primeira ocasião o projeto aprovado primava pelos ambientes escuros e introspectivos, e na segunda rodada deu-se o oposto - os espaços de trabalho surgiram claros, quase minimalistas -, dessa vez a equipe do Pitá Arquitetura desenvolveu uma solução equilibrada entre os dois extremos.

Para os 1.800 metros quadrados em uma laje única, a demanda era implantar uma arquitetura duradoura e elegante, sutil, e igualmente atual. A combinação de madeira com materiais em tonalidades de cinza foi uma das respostas, mas a mudança mais significativa, no entanto, deu‑se na distribuição dos ambientes, mais alinhada com os modos contemporâneos de trabalho. Em comparação com o layout implantado dez anos atrás, foram suprimidas as salas fechadas, a favor da integração espacial, criadas salas de reunião compactas e versáteis, além de um café amplo, com vocação colaborativa.

“Apesar de ser uma instituição mais tradicional, o cliente é bastante aberto a novidades, portanto não houve espanto com o que apresentamos aqui”, conta Antonio Mantovani. Era preciso alcançar certa sobriedade e a máxima qualidade espacial, sem clichês. Os funcionários do ING são predominantemente nascidos nos anos 1970 ou 1980, e têm familiaridade com a tecnologia, fatores que impactaram no projeto. Ou seja, fazia sentido abandonar a rigidez dos antigos espaços de trabalho. 

Optou-se por promover as conexões entre as pessoas, gerando encontros a partir do desenho do espaço, livre e fluido sempre que possível. “Achamos importante trazer para o corporativo um pouco do bem viver experimentado no âmbito da casa, no residencial, em vez de manter os cubos com os quais estruturávamos esse tipo de projeto anteriormente”, continua Mantovani. Nesse sentido, a área do café - posicionada no centro da planta, ligando os dois lados do escritório - tem papel de destaque.

Todas as salas destinadas ao trabalho cotidiano interno foram localizadas no perímetro da laje, recebendo bastante luz natural, o que ocorre também na recepção, onde o painel de policarbonato translúcido deixa entrever a tonalidade dourada que banha o lugar pela manhã. A fim de quebrar o formalismo excessivo, as divisões internas surgiram à revelia da geometria ortogonal presente na planta e na estrutura original do edifício, mas evitaram-se angulações exageradas. Desdobrada tridimensionalmente, essa intenção do Pitá Arquitetura ainda se fez perceber no piso (onde ocorre uma certa variedade de materiais, como o carpete têxtil e a madeira, além do vinílico e do cimentício, sempre em aplicações na diagonal) e distintos tratamentos no teto, com baffles, forros metálicos (conforme a necessidade acústica) e instalações à mostra. 

Pitá Arquitetura

Renomeado após duas décadas de atuação e organizado horizontalmente, o escritório paulistano é atualmente integrado por 35 profissionais que compõem times conforme as necessidades dos projetos. Predominam trabalhos para o segmento corporativo



Ficha Técnica

Escritório ING 
Local São Paulo (SP) 
Início do projeto 2019 
Conclusão da obra 2019 
Área de intervenção 1.800 m² (20º andar)


Arquitetura Pitá Arquitetura - Fernanda Rocha Capozzoli, Fernando Takahashi, Juliana Loss Vicenzi, Ana Carolina Casale, Amanda Toranzo Scoco, Antonio Mantovani Neto, Nico Salto del Giorgio, Claudia Sátyro Maia, Tainá Toledo (equipe) 
Climatização, elétrica, hidráulica JMBF
Comunicação visual Pitá Arquitetura 
Construção SAENG
Fotos Thomas Baccaro 

 

Fornecedores

Abatex (divisórias); 
Arkos Brasil (painel de policarbonato); 
Fahrer (banquetas e sofá da recepção); 
Herman Miller (cadeiras); 
Indusparquet (piso de madeira cumaru creme); 
Interface Floor (carpete modular e piso vinílico LVT); 
Lady (revestimento acústico para as paredes); 
Larong (lustre); 
Lumicenter (luminárias quadradas fixadas no forro); 
Lumini (luminárias lineares e spots); 
Neo Design Interiores (persianas da Hunter Douglas); 
Securit (estante); 
Tidelli (balanços); 
Vitra (estações de trabalho e cadeiras das salas de reunião); 
Wall System (divisória móvel); 
Fernando Jaeger, Cremme, Dpot (mobiliário decorativo)

 

Texto de Joana L. Baracui| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 450
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora