Studio mk27: Casa P, São Paulo

Retângulos abertos à paisagem

O domínio visual que naturalmente se tem da porção mais elevada do bairro, em relação à margem do rio Pinheiros, foi potencializado pelo projeto do Studio mk 27 para a casa P, construída nas imediações do parque Alfredo Volpi, no Morumbi, zona sul de São Paulo. Deslocados em torno de um eixo comum, volumes retangulares que alternam superfícies opacas e transparentes determinam o partido da residência, desenhada por Marcio Kogan e Lair Reis

Paralelogramos e cubos são figuras geométricas recorrentes na arquitetura desenvolvida pelo Studio mk27 para residências, programa que constitui a maior parte de suas incumbências. Em mãos menos hábeis, as formas poderiam se mostrar repetitivas ou próximas do esgotamento. Isso, no entanto, não acontece na trajetória do escritório - cada vez mais chamado a desenhar moradias fora do país -, que as trabalha de forma inventiva e original.

O projeto da casa P, desenvolvido pelos arquitetos Marcio Kogan, titular do estúdio, e Lair Reis, há mais de uma década integrante da equipe, confirma a busca pela simplicidade formal. Embora a residência fosse para uma família de apenas três membros, o programa transmitido pelo contratante - “sensível para as questões arquitetônicas”, destaca Reis - era amplo e detalhado. Por isso, mesmo com a dimensão do terreno quase quadrado e com ligeiro declive numa das laterais, a solução foi distribuí-lo em três pavimentos. O lote, na vizinhança do parque Alfredo Volpi, zona sul de São Paulo, contava com uma moradia, que foi demolida. Embora não esteja no ponto mais alto do bairro, o terreno ocupa posição privilegiada e livre de barreiras visuais em relação às margens do rio Pinheiros, que fica nas proximidades. Dessa forma, o projeto enfatiza o domínio visual da paisagem circundante.

Os autores conceituam a casa P como um jogo de encaixe. “Deslocar três volumes ao redor de um núcleo gerou uma particular dinâmica espacial e também diferentes relações visuais entre áreas privadas, semiprivadas e a vista para a cidade”, dissertam. Numa descrição minimalista, a residência poderia ser sintetizada como três retângulos de dimensões diversas (cada um correspondente a um piso da casa) que se cruzam em duas direções, verticalmente articulados pelo núcleo de circulação: uma escada contínua e engastada em uma empena estrutural.

No térreo estão a cozinha e os ambientes de convívio, complementados pelo terraço que ladeia a piscina. No primeiro andar encontram-se as áreas íntimas, com o dormitório principal abrindo-se para um amplo terraço sobre a laje do pavimento abaixo. No segundo fica a sala da família, agregada a um terraço de onde se descortina exuberante vista para a parte mais baixa da cidade e para a porção urbana construída à margem do rio Pinheiros. “Os volumes desenvolvem-se para criar constantes e distintas relações entre os espaços internos e externos. Os quartos olham para a piscina e aproveitam o deque sobre a cobertura das salas. A caixa dos quartos projeta-se para os dois lados do bloco das salas. De um lado, o balanço acolhe a entrada principal da casa; do outro, sombreia o terraço. O movimento espiral continua com a terceira caixa, que se apoia na segunda e projeta-se sobre a primeira. Ela sombreia a janela do quarto principal e parte do deque e, ao mesmo tempo, cria relações visuais com os quartos e o terraço”, descrevem os arquitetos.

O trio de caixas é em concreto aparente. Enquanto a térrea e a do primeiro andar têm as laterais fechadas por painéis de madeira que filtram a luz e permitem ventilação cruzada e permanente, a sala da família é fechada apenas por vidro, para preservar a vista.


Studio mk27
O Studio mk 27 foi fundado pelo arquiteto Marcio Kogan (FAU/Mackenzie, 1976) na década de 1980, tendo se tornado um dos mais premiados escritórios de arquitetura do país - só nas premiações do IAB já foram mais de uma dezena. Lair Reis, que se formou em 2000 na mesma escola que Kogan, faz parte da equipe há mais de uma década



Ficha Técnica

Residência unifamiliar
Local São Paulo, SP
Data do início do projeto 2007
Data da conclusão da obra 2012
Área do terreno 1.240 m2
Área construída 773 m2
Arquitetura e iluminação Studio mk27 - Marcio Kogan (autor); Lair Reis (coautor); Carolina Castroviejo, Carlos Costa, Laura Guedes, Mariana Simas, Oswaldo Pessano e Suzana Glogowski (colaboradores); Andrea Macruz, Samanta Cafardo e Renata Furlanetto (equipe)
Colaboradora de arquitetura Fernanda Neiva
Interiores Diana Radomysler
Paisagismo Renata Tilli
Construção CPA
Fotos FG + SG Fotografia de Arquitetura

Fornecedores

Kiko (esquadrias de alumínio)
Plancus (painéis de fachada, portas de madeira e marcenaria)
Securit (cozinhas)
Bellas Artes (pedras)

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 412
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora