Colunas

Plataforma aberta IABSP

Desde o início de 2017, o Instituto de Arquitetos do Brasil de São Paulo (IABsp) foi tomado por muita movimentação e entusiasmo, proporcionados, sobretudo, pela busca de uma nova forma de trabalho e atuação. Compõem a diretoria do triênio 2017-2019 profissionais de várias idades e experiências profissionais, alguns com contribuições históricas e outros que foram agregados nesta nova composição - sangue novo, como se diz.

Um dos objetivos que move o conjunto de ações é dar maior visibilidade à representação da instituição junto à sociedade. O IABsp sempre teve participação em diversos órgãos colegiados relativos às políticas voltadas à cultura urbano-ambiental e arquitetônica. Em determinados momentos de nossa história a participação da entidade foi essencial ao catalisar opiniões, anseios e apresentar propostas em diferentes aspectos da atuação de nossa profissão. O concurso público da sede, em 1951, e o Seminário Nacional de Habitação e Reforma Urbana, em 1963, são exemplos históricos nessa direção.

Desta vez, a escolha dos representantes nos vários conselhos foi feita por meio de chamamento público à categoria. Essa representação, por sua vez, está ancorada em grupos de trabalho nos temas afins, como patrimônio, habitação e meio ambiente, de modo a se constituir um corpo de opiniões e levar posições coletivas, tanto nos conselhos quanto em manifestações e representações públicas. Essa forma de trabalhar fortalece os mecanismos de representatividade, cria coesão em torno de ideias e promove a participação dos arquitetos. Mas não só. É inegavelmente uma forma de exercício de cidadania, fundamental para a consolidação da democracia participativa na cidade e no país.

Quem ganha é a instituição: seus espaços florescem em um vai e vem de profissionais e estudantes presentes nos debates e oficinas, que impulsiona uma rede de trocas de experiências e pontos de vista sobre arquitetura e planejamento urbano.

A prática do chamamento público se coloca em outras frentes. Recentemente foi lançado edital destinado a professores para montar a grade de cursos livres e oficinas. No primeiro semestre, foi lançado chamamento para propostas de ocupação do edifício-sede o que abriu a possibilidade para novas formas de apropriação dos espaços, multiplicando seu potencial.   

O trabalho em rede, os profissionais com inserções variadas e as parcerias com outras instituições constroem uma nova maneira de cumprir o princípio de valorização da arquitetura e atuar na construção de uma cidade mais humana. Assim o IABsp busca constituir-se enquanto uma plataforma aberta aos desafios da arquitetura e das cidades contemporâneas.


Rossella Rossetto (conselheira superior do IABsp)
Marcela Ferreira (diretora do IABsp)
Fernando Túlio (presidente do IABsp)

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 441
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora