Ciclo Arquitetura: Escritório, Rio de Janeiro

A música como negócio

Linhas diagonais, planos inclinados e elementos sinuosos associam-se ao forte colorido e ao brilho das luzes para compor a sede do Rock in Rio

Realizado pela primeira vez em 1985, o Rock in Rio hoje é uma marca consagrada. Apesar do crescimento do festival ao longo de quase três décadas, a sede da empresa que o organiza funcionava até poucos meses atrás no interior da Artplan, a agência de publicidade de Roberto Medina, idealizador do megaevento musical.

O primeiro escritório planejado especialmente para o Rock in Rio foi instalado em um edifício corporativo na Barra da Tijuca e ocupa a totalidade de um pavimento com cerca de 600 metros quadrados. “O cliente queria espaços jovens, limpos e criativos, porém elegantes, sem aquele clima de garage band”, destaca o arquiteto João Uchôa, autor da proposta e criador dos palcos do Rock in Rio desde 2006.

Para dar a ideia de dinamismo, o projeto combinou linhas diagonais, planos inclinados e elementos de desenho sinuoso que se sucedem ao lado de tonalidades contrastantes e materiais de diferentes texturas. “Azul, vermelho e branco são as cores do festival. As outras entram pontualmente”, comenta o arquiteto.

O ponto alto do escritório está na área de convivência centralizada, que conta com mobiliário europeu de design contemporâneo, lançado recentemente no mercado. O ambiente abrange a principal sala de reuniões, delimitada por painéis móveis de vidro transparente e concebida na forma de um tablado para poder funcionar também como palco para pequenos shows ou coletivas de imprensa.

A transparência, o bar da área de convivência, as estantes coloridas de madeira laqueada e o grande videowall, fixado à viga por um único ponto de sustentação, criam uma ambientação descontraída.

A marca Rock in Rio aparece em diferentes espaços, sempre na cor prata. Na recepção, ela se compõe harmoniosamente com o balcão desenhado pelo arquiteto e confeccionado em fibra de vidro. Esse mesmo material reaparece na guitarra pendurada no teto, desta vez em tom de vermelho ligeiramente mais vivo que o das poltronas Egg que ocupam a sala de espera.

“O projeto tem inspiração no palco metálico do Rock in Rio que reflete a luz”, detalha Uchôa. A iluminação é dada por lâmpadas fluorescentes tubulares e AR 111 embutidas no forro de gesso.

Na recepção e na área de convivência, o acabamento do piso mescla réguas de madeira e placas de porcelanato. Com distribuição confortável, o projeto apresenta 80 postos de trabalho. Nesses setores, o piso elevado é revestido por carpete em placas.

Ciclo Arquitetura - João Uchôa formou-se em 1985 pela Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro, e em 1992 fundou o escritório Ciclo Arquitetura. O estúdio atua em diferentes segmentos da arquitetura civil e cenográfica, com destaque para o design das exposições de Chico Mendes e Fernando Sabino, dos palcos para o Rock in Rio Lisboa, Madri e Rio de Janeiro e do palco para a Jornada Mundial da Juventude 2013, no Rio



Ficha Técnica

Escritório Rock in Rio
Local: Rio de Janeiro, RJ
Data do início do projeto: 2012
Data da conclusão da obra: 2012
Área de intervenção: 600 m2
Arquitetura e interiores: Ciclo Arquitetura - João Uchôa (autor); Bárbara Urbano, André Godinho, Federico Estevão, Fernanda Urbano e Juliana Andrade (colaboradores)
Luminotécnica: João Uchôa
Ar condicionado: Polar
Construção e instalações: RMZ
Fotos: Celso Brando

Fornecedores

JP Sampaio (marcenaria)
Blum Haus (cortinas e persianas)
Barsotti (luminárias)
Way Design, Guimar (mobiliário)
Gumos (piso)
Suvinil (tintas)

Texto de Nanci Corbioli| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 402
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora