Isay Weinfeld: Livraria da Vila, SP

Livros determinam a medida
e a escala do projeto

A nova unidade da livraria tem recuo até certo ponto generoso se comparado à densidade da área construída em edificações do entorno

Isay Weinfeld projetou a nova unidade da Livraria da Vila em São Paulo, localizada nos Jardins. Trata-se de loja de rua, que faz uso de materiais habituais, como o concreto, o forro de gesso branco e o piso cimentado, ordenados com simplicidade. Pouco se evidencia nos interiores além dos livros, com exceção das portas de entrada.

A quantidade de portas - são cinco, pivotantes - se deve não só à proporção harmoniosa, como à necessidade de sua manipulação com conforto, já que elas têm profundidade suficiente para receber prateleiras internas e, assim, funcionam também como vitrines, repletas de livros.

O material e a modulação dessas estantes móveis na entrada são indicativos do que o visitante encontrará nos interiores, de forma que a função de vitrine é observada de modo pleno. Em síntese, portanto, as prateleiras embutidas nas caixas pivotantes são feitas com madeira em tom escuro, repetidas na modulação de seis nichos horizontais. Além da forma e dos materiais, as portas carrregam certa simbologia do projeto, no sentido de serem os livros os protagonistas da arquitetura. Ou seja, ao remontarem externamente a parede lateral portante da edificação, seguindo o alinhamento vertical da fachada, as portas e seu conteúdo funcionariam hipoteticamente como a base do edifício.

No interior da loja, o visitante depara-se com tipologia comum ao bairro. Weinfeld tirou partido da condição do terreno relativamente estreito e comprido - 10 x 30 metros -, reservando salas amplas nos três andares, com largura suficiente para a criação de prateleiras periféricas prioritariamente. As paredes laterais são completamente revestidas com estantes contínuas, não restando espaço para a visualização de qualquer superfície vertical que não aquelas preenchidas por livros. São estes, nesse sentido, os elementos articuladores e referenciais das medidas e da escala dos interiores, a exemplo do pé-direito rebaixado, resultante da altura útil para acesso às prateleiras.

No andar térreo, o único utilizado em todo o comprimento com a finalidade expositiva, as estantes laterais são complementadas por módulos baixos centrais, assim como por prateleiras aéreas, embutidas em aberturas de piso e teto que o arquiteto criou nos terços frontal e posterior da edificação. O artifício novamente enfatiza o livro como elemento articulador, sobretudo porque a visualização entre andares fica por ele intermediada.

O raciocínio estende-se ainda à estante mais alta, posicionada junto à escada lateral, desenho que gera quase 150 metros lineares de exposição só nesse trecho - ao todo são 1.280 metros, dos quais perto de 950 dedicados aos livros. Tomando por base a média de um centímetro e meio de largura por livro, tem-se como capacidade da livraria cerca de 60 mil volumes, além de 30 mil CDs e DVDs.

Embora com funções e mobiliário distintos, os andares inferior e superior - respectivamente dedicados ao setor infantil/auditório e aos CDs/DVDs mais o café - guardam a idéia de livraria introspectiva, voltada ao interior, sobretudo em função da elevada densidade de livros e da relação mediada com o exterior. Não há aberturas para a rua e a luz natural é filtrada por domo translúcido sobre a escada, princípio que orienta também a iluminação artificial indireta. Com isso, o projeto consegue criar um incentivo à longa permanência do visitante no espaço.


Isay Weinfeld
Isay Weinfeld formou-se em 1975 pela FAU/Mackenzie, onde lecionou teoria da arquitetura. É autor de projetos de arquitetura e interiores premiados pelo IAB/SP, bem como de trabalhos expográficos, cenográficos, de design de mobiliário, direção de arte de espetáculos e direção cinematográfica



Ficha Técnica

Livraria da Vila
Local São Paulo, SP
Início do projeto 2006
Conclusão da obra 2007
Área de intervenção 790 m2
Arquitetura Isay Weinfeld (autor); Domingos Pascali (colaborador); Mônica Cappa (coordenadora); Juliana Garcia e Leandro Garcia (equipe)
Estrutura e fundações Stec do Brasil
Instalações elétricas, hidráulicas e de ar condicionado MVF
Paisagismo Isabel Duprat
Sonorização Homesystem
Comunicação visual Roberto Cipolla
Construção Fairbanks & Pilnik
Fotos Leonardo Finotti

Fornecedores

Acriresinas (acrílico)
Agrotan (domo) 
Cada Canto (piso cimentado) 
Casa dos Vidros (vidraçaria) 
Cia. de Iluminação (iluminação) 
Clodomar (pedras) 
Concresteel (placas pré-moldadas de concreto) 
Deca (louça sanitária) 
Fabrinox (tampos de inox) 
Gail (cerâmica dos banheiros e copa) 
Legno (marcenaria) 
Swatt (serralheria)

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 330
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora