Case

BIM no D.O.M. Hotel

Para projetar a torre de 120 metros de altura que sediará o D.O.M. Hotel, na capital paulista, a equipe do Gui Mattos Arquitetura utilizou o software Archicad, da Graphisoft. Essa ferramenta BIM garante que os fluxos de projeto e as ferramentas de colaboração sirvam às necessidades dos arquitetos, do primeiro esboço e durante todo o ciclo de vida do edifício

Abrigando 152 apartamentos de hotel, o empreendimento conta ainda com unidades residenciais nos pavimentos mais elevados, restaurantes do renomado chef de cozinha Alex Atala no térreo, espaço para eventos e um lobby elevado que funcionará como praça.

O escritório Gui Mattos Arquitetura trabalhou desde a concepção inicial do edifício com o Archicad, software BIM (Building Information Modeling) da empresa húngara Graphisoft, que há 30 anos é líder no mercado de arquitetura e design. A ferramenta possibilita que criação e documentação aconteçam simultaneamente em 3D e 2D, permitindo a tomada de decisões e a visualização de resultados em um ambiente real de projeto.

Tudo isso em um modelo único e centralizado, de modo a proporcionar aos arquitetos - assim como a outros profissionais envolvidos no projeto - a execução de alterações rápidas e automáticas. Segundo o arquiteto José Rocha, um dos coordenadores do escritório paulistano responsável pelo projeto, o fluxo de trabalho tornou-se muito mais ágil com o Archicad. “Nesse projeto trabalhamos com dois módulos de fachada, por exemplo. Quando fazemos alterações nesses arquivos, elas já são replicadas em todos os outros pavimentos”, exemplifica.

O Archicad garante a geração e atualização automática de desenhos (cortes, elevações, elevações internas e documentos 3D), além de checar a construtibilidade, revelando as falhas potenciais e fraquezas do projeto, evidenciando os componentes que colidem e checando se o modelo está de acordo com os requerimentos e as melhores práticas BIM.

O software permite ainda que o cliente consiga visualizar a proposta de forma bastante verossímil, a partir de renderings e animações fotorrealistas. “Ele pode entender o projeto em microescala, ver detalhes da fachada, fluxos e acessos do entorno, como o modelo está inserido dentro do espaço urbano”, explica o arquiteto.

O Archicad já faz parte da rotina do Gui Mattos Arquitetura desde 2004. Na época, como explica Rocha, o modelo BIM ainda era pouco difundido no mercado brasileiro. “Queríamos, inicialmente, um programa que nos auxiliasse na documentação. Depois, o processo de criação do escritório foi se moldando a partir da ferramenta e, hoje, tudo que está relacionado à arquitetura ocorre dentro dela”, diz o arquiteto.

Com o software de alta performance da Graphisoft, as equipes podem trabalhar offline ou em tempo real, com dispositivos – Win e Mac, tablets e smartphones Apple e Android –, além de poder usar o BIM armazenado em nuvem, que funciona em qualquer rede, hardware ou arranjo de software, conectando equipes e projetos de qualquer tamanho ou configuração. Para se ter uma ideia, com essas facilidades, o Gui Mattos Arquitetura já chegou a ter mais de 16 arquitetos trabalhando simultaneamente num mesmo arquivo.

Disponível em 17 idiomas e 27 versões localizadas, que atendem aos padrões de desenho e documentação específicos, o Archicad oferece suporte local e conta com uma interface de programação de aplicativo que permite que desenvolvedores independentes estendam a funcionalidade do software quando necessário.

No Brasil, aflalo/gasperini, Arquitetura Nacional, Königsberger Vannucchi, Bernardes Arquitetura e Bacco Arquitetos são outros renomados escritórios que utilizam o Archicad, podendo trabalhar com modelos grandes e complexos de forma mais prática e organizada.


www.graphisoft.com/br
(11) 3045-4350

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 441
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora